sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Sexta, 24 de Outubro de 2014 - 13:40 Presidenciáveis participam hoje de último debate por Stefânia Akel | Estadão Conteúdo

Presidenciáveis participam hoje de último debate
Foto: Reprodução/BBC
Os presidenciáveis Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) se enfrentam na noite desta sexta-feira no último debate do segundo turno, promovido pela TV Globo. O debate está previsto para começar às 21h11 (22h11 no horário de Brasília), com duração prevista de uma hora e 50 minutos, e será mediado pelo jornalista William Bonner. Dos quatro blocos do debate, Dilma e Aécio se enfrentarão diretamente em dois - no primeiro e no terceiro -, com perguntas de tema livre. No segundo e no quarto bloco, as perguntas serão feitas por eleitores indecisos. O debate terminará com as considerações finais dos candidatos. Os indecisos serão selecionados em todos os Estados pelo instituto Ibope. Cada eleitor indeciso vai elaborar previamente perguntas com temas de interesse nacional. As oito perguntas mais bem formuladas serão selecionadas pela Globo. O cenário do debate será uma arena, com o objetivo de facilitar a movimentação dos candidatos, e os eleitores indecisos estarão sentados em volta dos presidenciáveis.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Quinta, 23 de Outubro de 2014 - 16:14 Dilma tem 54% e Aécio 46% dos votos válidos, diz pesquisa Ibope

Dilma tem 54% e Aécio 46% dos votos válidos, diz pesquisa Ibope
Foto: Divulgação
Segundo a pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira (23) a candidata à Presidência da República Dilma Rousseff (PT) ampliou a vantagem em relação a Aécio Neves (PSDB) e chegou a 54% dos votos válidos, contra 46% do tucano. Ao se considerar brancos, nulos e indecisos, a petista tem 49% contra 41% de seu concorrente. A pesquisa encomendada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo mostrou crescimento de Dilma em relação ao último levantamento do instituto, quando Aécio tinha 51% dos votos válidos. O Ibope ouviu 3.010 eleitores em 203 municípios entre os dias 20 e 22 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01168/2014.

Quinta, 23 de Outubro de 2014 - 16:05 Datafolha: Dilma Rousseff abre seis pontos de vantagem sobre Aécio Neves

Datafolha: Dilma Rousseff abre seis pontos de vantagem sobre Aécio Neves
Foto: Reprodução
Pesquisa Datafolha finalizada nesta quinta-feira (23) mostra a presidente Dilma Rousseff (PT) pela primeira vez à frente do senador Aécio Neves (PSDB) no segundo turno da eleição presidencial fora da margem de erro. Conforme o instituto, Dilma tem 53% das intenções de votos válidos, enquanto Aécio tem 47%. A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. A diferença entre eles, portanto, está além dos limites máximos da margem. Em votos totais, Dilma alcança 48%, Aécio atinge 42%. Brancos e nulos somam 5%. Outros 5% dizem não saber em quem votar. Por encomenda da Folha de S. Paulo e da TV Globo, o Datafolha ouviu 9.910 pessoas na quarta (22) e nesta quinta (23). O nível de confiança do levantamento é 95% (significa que em 100 pesquisas com esta mesma metodologia, os resultados estarão dentro da margem de erro em 95 ocasiões). O registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é BR-1162/2014.

Quinta, 23 de Outubro de 2014 - 16:20 Rejeição de Aécio Neves sobe para mais de 40% nas duas pesquisas divulgadas nesta quinta

Rejeição de Aécio Neves sobe para mais de 40% nas duas pesquisas divulgadas nesta quinta
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias
A rejeição do presidenciável Aécio Neves (PSDB) aumentou entre os eleitores tanto na pesquisa do Datafolha quanto na do Ibope, divulgadas nesta quinta-feira (23). No Datafolha, 41% dos eleitores afirmam que não votam em Aécio "de jeito nenhum", enquanto que a taxa de rejeição de Dilma está em 37%. Em duas semanas, a rejeição do tucano subiu sete pontos (era de 34%), enquanto que a da petista está seis pontos menor - era 43%. No Ibope, a rejeição a Aécio, subiu de 35% para 42% do eleitorado, enquanto que a de Dilma se manteve em 36%, também em relação ao início do segundo turno. A pesquisa Ibope está registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-01168/2014 e a Datafolha com BR-1162/2014. 

Quinta, 23 de Outubro de 2014 - 16:40 Cantareira chega a 3% e bônus para economizar água começa a valer em São Paulo

Cantareira chega a 3% e bônus para economizar água começa a valer em São Paulo
Foto: Reprodução
Começa a vigorar nesta quinta-feira (23), em São Paulo, a ampliação do desconto na conta dos consumidores que economizarem água. O bônus foi aprovado pela Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) e as residências que reduzirem entre 10% e 15% no consumo terão desconto de 10% na conta. As reduções entre 15% e 20%, receberão descontos de 20%. Já as que conseguirem reduzir em 20% ou mais permanecem com o desconto de 30%. A medida amenizará a maior crise hídrica da história de São Paulo. Nesta quinta, o nível nos reservatórios do Sistema Cantareira, que abastece a região, registrou nova queda, chegando ao patamar de 3% de sua capacidade total de armazenamento. Há um ano, o volume armazenado era 38,1%. O bônus na conta vale para cidades da região metropolitana de São Paulo e capital.

Quinta, 23 de Outubro de 2014 - 16:00 Dilma fica à frente de Aécio fora da margem de erro no Ibope, diz colunista da Veja

Dilma fica à frente de Aécio fora da margem de erro no Ibope, diz colunista da Veja
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias
A presidente Dilma Rousseff (PT) vai aparecer à frente de Aécio Neves (PSDB) em uma pesquisa Ibope, pela primeira vez no segundo turno. O furo é do colunista da Veja, Lauro Jardim. Mas, de modo diferente do Datafolha, que mostrou Dilma na liderança mas em situação de empate técnico quando considerados os votos válidos, no Ibope a petista estará na dianteira fora da margem de erro. É a primeira vez que isso acontece neste segundo turno. A nova pesquisa presidencial do Ibope será divulgada às 17h, no site de O Estado de S. Paulo.

Quarta, 22 de Outubro de 2014 - 19:30 Prefeito de Camaçari faz esforços para aumentar votação de Dilma na cidade

Prefeito de Camaçari faz esforços para aumentar votação de Dilma na cidade
Foto: Divulgação
O prefeito de Camaçari, Ademar Delgado (PT) concentra esforços e mobiliza as forças políticas aliadas a fim de fortalecer ainda mais, na reta final, a votação da presidenta Dilma Rousseff (PT). A pretensão é ampliar em pelo menos 10% a votação. No primeiro turno, conforme dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Dilma teve 50.952 (45%), contra 39.402 (35%) de Marina Silva (PSB) e 19.429 (17%) de Aécio Neves (PSDB). O desafio é aumentar em mais de cinco mil a votação de Dilma em Camaçari. Nas últimas duas semanas, Delgado tem dedicado os fins de tarde e as noites para contatos e reuniões com lideranças políticas, comunitárias e sindicais, com os partidos aliados e na participação em atos públicos de apoio à reeleição da presidenta.

Quarta, 22 de Outubro de 2014 - 20:30 Governador e primeira-dama da Paraíba divergem em voto para presidência

Governador e primeira-dama da Paraíba divergem em voto para presidência
Foto: Reprodução
A disputa entre Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) chegou ao Palácio da Redenção, sede do governo da Paraíba. Isso porque o governador Ricardo Coutinho (PSB) encabeça a campanha de reeleição da presidente, mas a primeira-dama e jornalista Pâmela Bório irá votar no tucano. "Votei em Marina (Silva, presidenciável do PSB) e continuo com afinidade de pensamento dela. Eu não sou vaca para precisar de aboio... Sou conduzida apenas pela consciência, conhecimento e percepção pessoal. O voto é meu, não é de marido, de mãe, de irmão, de amigo...", disse no Instagram, ao declarar apoio a Aécio. Informações da coluna de Felipe Patury, na Época.

Quinta, 23 de Outubro de 2014 - 00:00 Situação de Emergência por conta da seca atinge mais de 40% dos municípios da Bahia por Luiz Fernando Teixeira

Situação de Emergência por conta da seca atinge mais de 40% dos municípios da Bahia
Foto: Reprodução / Diário do Sudoeste da Bahia
A situação da seca na Bahia teve uma piora do início de outubro até agora: já são 169 cidades em Situação de Emergência por Seca ou Estiagem, de acordo com dados da Superintendência de Proteção e Defesa Civil (Sudec), autarquia da Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes). São três municípios a mais: Euclides da Cunha, Bom Jesus da Lapa e Brejões. Agora, são 1.771.766 pessoas em situação de emergência, 173.094 a mais do que no levantamento anterior. Mais uma vez, a assessoria da Sudec não informou se todos os municípios que decretaram situação de emergência estão recebendo auxílio financeiro do governo do estado ou federal.

Quinta, 23 de Outubro de 2014 - 09:40 'Não retiro nada daquilo que eu disse', diz relatora da ONU sobre crise hídrica em São Paulo

'Não retiro nada daquilo que eu disse', diz relatora da ONU sobre crise hídrica em São Paulo
Foto: ONU/Divulgação
A relatora especial para água e saneamento da ONU Catarina de Albuquerque se disse surpresa com o pedido de retratação feito pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) ao secretário-geral da entidade, Ban Ki-moon, no qual questiona o documento feito por ela sobre a crise de abastecimento de água que ocorre no estado. “Eu não retiro nada daquilo que eu disse. O que eu disse, poderia dizer sobre qualquer país do mundo [que passe por uma crise hídrica]”, afirmou a portuguesa em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo. Ela rebateu a declaração de Alckmin de que teria interesse político ou partidário no Brasil. "Minhas preocupações não são os governos, são as pessoas. Isso faz parte do cargo que eu ocupo”, argumentou.

Quinta, 23 de Outubro de 2014 - 11:40 Taxa de desemprego em setembro é de 4,9%, diz o IBGE por Daniela Amorim | Estadão Conteúdo

Taxa de desemprego em setembro é de 4,9%, diz o IBGE
Foto: Divulgação / SJP
A taxa de desemprego apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nas seis principais regiões metropolitanas do País ficou em 4,9% em setembro. O resultado ficou no piso do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções, que esperavam um resultado entre 4,90% a 5,30%, com mediana de 5,10%. Em agosto, a taxa de desocupação foi de 5,0%. O rendimento médio real dos trabalhadores registrou alta de 0,1% em setembro ante agosto e alta de 1,5% na comparação com setembro de 2013.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Quarta, 22 de Outubro de 2014 - 18:20 'O PT conseguiu emplacar o discurso do medo', afirma Lula Guimarães

O marqueteiro Lula Guimarães, que trabalhou para a presidenciável Marina Silva (PSB) nesta eleição, acredita que a presidente Dilma Rousseff (PT) vencerá o senador Aécio Neves (PSDB) e será reeleita neste domingo (26). "Acho que vai dar Dilma. O PT conseguiu emplacar o discurso do medo. No primeiro turno, o foco dos ataques foi a Marina e nós vimos no que deu. Agora, a munição está voltada para Aécio, que começa a cair nas pesquisas", afirmou Lula. O marqueteiro faz uma comparação com a eleição presidencial de 2002, quando o seu xará ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com a pauta da esperança, superou o ex-governador José Serra (PSDB), que apostou no discurso do medo. "Em 2002, a esperança venceu o medo. Neste ano, o discurso do medo vai vencer o da esperança". O marqueteiro destaca o ex-presidente Lula como uma peça fundamental na comunicação petista, por ele conseguir impor o discurso da luta de classes e do medo e dizer que os tucanos não gostam dos pobres. Informações da Época.

Quarta, 22 de Outubro de 2014 - 17:20 Itapetinga: Aeronave com Rui Costa não consegue pousar por causa de mau tempo por Rebeca Menezes

Itapetinga: Aeronave com Rui Costa não consegue pousar por causa de mau tempo
Foto: Jamile Amine/ Bahia Notícias
O mau tempo que atinge a região de Itapetinga, no sudoeste baiano, impediu que a aeronave que levava o governador eleito Rui Costa (PT) pousasse no aeroporto da cidade. Segundo a assessoria do petista, o piloto decidiu não aterrissar por motivos de segurança e retornou a Salvador ainda nesta quarta-feira (22). Rui Costa participaria de uma caminhada na cidade por volta das 15h. Ainda assim, o evento foi mantido e contou com a presença de lideranças políticas da região.

QUEM OLHA PELO RETROVISOR NÃO SE BATE EM OBSTÁCULOS, VAMOS COMPARAR OS GOVERNOS DE LULA E DILMA, COM O DO PSDB DE AÉCIO?

Quem não viveu eras de governos antes de Lula e de Dilma, não sabe nem de longe, o que quer dizer dificuldades que viveram a nação brasileira nestas épocas. Tudo era muito difícil, não havia se quer incentivos por parte de governantes que pudesse contribuir com o desenvolvimento e amenizar os efeitos da pobreza e da miséria que se aprofundava a passos largos e por isso crianças morriam desnutridas devido a fome que campeava por todo canto do Brasil, principalmente no Nordeste.
Vamos comparar?
Durante séculos não existiam no meio rural: Energia elétrica, barragens, cisternas, água encanada, estradas, transportes, escolas, educação, merenda escolar, aposentadorias, direitos, alimentação em quantidade e qualidade, políticas sociais etc... a ausência destas políticas deixavam a população excluídas de tudo e em estrema pobreza. Em tempo de seca o que é comum no Nordeste, os governantes abriam frentes de serviços temporariamente, onde pais de famílias se cadastravam para enfrentar o trabalho duro de fazer pequenas aguadas manuais, muitas vezes nas propriedades de cabos eleitorais. Muitas vezes a fome e a miséria se redobravam devido os longos períodos para receber os míseros valores pagos pelos governos, raramente os frentistas recebiam também arroz com casca e feijão que além de não cozinhar o mesmo era praticamente podre,  sem falar na humilhação que era na hora de receber os alimentos que eram entregues sobre os abusos dos policiais do exercito brasileiro. Esse sofrimento todo podemos lembrar dos governos de João Figuerdo, Collor, Itamar Franco e Fernando Henrique Cardos. 
Veja algumas imagens destas épocas: 

                                                                     ARROZ EM CASCA
FEIJÃO ESTRAGADO
LONGA ESTRADA PARA ENCONTRA ÁGUA 
ÁGUA DE PÉSSIMA QUALIDADE
FOME E SEDE-REBANHO DIZIMADO
CRIANÇAS COM FOME, MÃE NÃO TEM NADA PARA ALIMENTÁ-LAS!
CRIANÇA DESNUTRIDA A CADA MINUTO MORRIA 1 DE FOME, 

Assim como esta, milhares e milhares de crianças morreram desnutridas devido a falta de condições de seus pais que não tinham condições e nem ajuda de governos, para adquirir alimentos e impedir que seus filhos morressem desnutridos por causa da fome. Hoje, isso mudou. Verdade que não mudou completamente, mas mudou de modo considerável, melhorando sensivelmente a vida do povo Brasileiro, isso se deve a implantação de políticas públicas dos governos de Lula e Dilma como: Educação, transporte escolar, saúde, eletrificação, água encanada e do exército, moradia, crédito, cisterna, garantia safra, auxilio maternidade, aposentadorias, bolsa família, conta em bancos, projetos de geração de emprego e renda, acesso a bens de consumo como carro, moto, aparelhos domésticos, e tantas outras oportunidades implantadas depois de Lula e Dilma. agora podemos afirmar que o Brasil é outro, prova disso é sai do mapa da fome, (segundo a ONU). 
E agora, você entendeu por que Aécio não gosta de comparação?
É por causa destas e de outras mudanças que votamos em Dilma, sim! Vem com a gente!!!

QUEM NÃO GOSTA QUE SE FALE DO PASSADO É AÉCIO, ISSO PARA O MESMO É OLHAR PELO RETROVISOR!

Fernando Henrique Cardoso  governou o Brasil durante oito anos, de 1995 a 2002. Foi o primeiro presidente da República a governar por dois mandatos consecutivos.
FHC, como é conhecido, teve notoriedade com o plano real. Como Ministro da Fazenda no Governo de Itamar Franco, ele reuniu um grupo de economistas que elaborou um plano capaz de estabilizar a economia. Com uma moeda estável, o país pode voltar a crescer nos governos subsequentes.
Um ano depois, FHC era eleito Presidente da República já no primeiro turno. Derrotou seu principal adversário, Luís Inácio Lula da Silva, com mais de 54% dos votos válidos.

Nova moeda: Real

Em 1º de julho de 1994 passou a vigorar a nova moeda do país, o Real. O Banco Central fixou uma paridade entre o Real e o Dólar, a fim de valorizar a nova moeda. Um Real era o equivalente a Um Dólar.
O Plano Real animou empresários e a população, e impulsionou o consumo interno. Mas o que era festa, virou preocupação para o governo. Com o consumo em alta, temia-se a volta da inflação, que acabou não ocorrendo.

Primeiro mandato

Fernando Henrique tomou posse em 1º de janeiro de 1995, sucedendo ao presidente Itamar Franco. Com o sucesso da nova moeda, a principal preocupação era controlar a inflação. Para isto, o governo elevou as taxas de juros da economia
Outra iniciativa de destaque de FHC foi privatizar empresas estatais, como a Vale do Rio Doce e Sistema Telebrás. Enfrentou muitas críticas de vários setores da sociedade, principalmente de partidos de oposição, como o PT (Partido dos Trabalhadores).
Surgiram muitas denúncias relacionadas às privatizações, de favorecimentos para determinadas empresas internacionais na compra das estatais. Porém, não impediram o plano do governo de levantar verbas para promover as reformas necessárias no plano político.
Em 1997, foi aprovada pelo Congresso uma emenda constitucional permitindo a reeleição para cargos executivos: Presidente da República, Governadores e Prefeitos. Manobra política que beneficiaria FHC nas eleições de 1998.
Outra vez o governo foi acusado de corrupção, por compra de parlamentares em troca do voto favorável à proposta de reeleição. A oposição tentou criar CPIs (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar as denúncias, mas não houve sucesso.

Segundo mandato

Calcado na estabilidade econômica e controle da inflação, Fernando Henrique conseguiu se reeleger, em 1998. Disputou a eleição e venceu novamente no primeiro turno.
Entretanto, seu segundo mandato começou em meio a crises. O país estava mergulhado em uma recessão econômica. Para controlar a inflação, as medidas desestimularam o consumo interno e, consequentemente, elevaram o desemprego.
Para piorar, uma crise internacional atingiu o Brasil no início de 1999. Os investidores, receosos, tiraram bilhões de dólares do Brasil. Não houve como manter a paridade Dólar/Real. O governo foi obrigado a desvalorizar a moeda e também recorrer ao FMI(Fundo Monetário Internacional). Com os empréstimos do FMI em mãos, teve de adotar um rígido controle sobre os gastos públicos, diminuir investimentos públicos e elevar ainda mais as taxas de juros.
Em 2000, foi criada a Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar 101), que contribui de forma expressiva para o controle das contas públicas em todo o país.
Em 2001, o governo se viu abalado novamente, desta vez com uma crise política. Três senadores da base aliada foram desmascarados com uma série de denúncias e acabaram renunciando ao mandato, são eles: Jader Barbalho, Antonio Carlos Magalhães e José Roberto Arruda.
Ainda em 2001, ocorreu o chamado “apagão”. Foi uma crise nacional que afetou o fornecimento e a distribuição de energia elétrica. A população teve que reduzir o consumo de energia. Foi estipulada uma meta mínima de consumo, que todos deveriam cumprir: residências, indústrias, comércio, etc.

Quarta, 22 de Outubro de 2014 - 06:40 Dilma mantém 52% e Aécio 48%, diz Datafolha por Mateus Fagundes e Leda Samara | Estadão Conteúdo

Dilma mantém 52% e Aécio 48%, diz Datafolha
Fotos: Reprodução
Pesquisa Datafolha divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo nesta quarta-feira (22) mostra a candidata Dilma Rousseff (PT) numericamente à frente do candidato do PSDB, Aécio Neves, mas em situação de empate técnico. Em votos válidos, Dilma manteve os 52% do levantamento divulgado na segunda-feira, 20, e Aécio, 48%. Em votos totais, Dilma oscilou de 46% para 47% e Aécio manteve 43%. Brancos e nulos oscilaram de 5% para 6% e indecisos foram de 6% para 4%. A pesquisa mostra também que 82% dos eleitores de Dilma acreditam que ela será reeleita no domingo. No grupo dos que votam em Aécio, 78% acham que o vencedor do pleito será ele. A pesquisa Datafolha, contratada pelo jornal Folha de S. Paulo, ouviu 4.355 eleitores nesta terça-feira, 21, em 256 municípios de todo o País. A margem de erro é de dois pontos porcentuais e o nível de confiança, de 95%. Isso significa que, se forem realizados 100 levantamentos, em 95 deles os resultados estariam dentro da margem de erro prevista. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-01160/2014.

PETROLINA: DILMA FOI RECEPCIONADA POR APROXIMADAMENTE 150 MIL PESSOAS!

Terça feira, (21/10/2014), a Presidenta Dilma em campanha presidencial, visitou o Semiárido Nordestino, tendo a praça da Catedral de Petrolina-PE, ficado pequena para caber as aproximadamente 150 mil pessoas, que por volta das 11h diante de temperatura bastante elevada, recepcionaram de forma calorosa a nossa candidata Dilma que estava acompanhada do Governador Wagner da Bahia, entre outras autoridades.  



Slogan foi apresentado pelos organizadores do evento, e tomou conta das mentes e dos corações dos participantes que dizia: 

"NÓS, POVOS DO SEMIÁRIDO, QUEREMOS DILMA 13".

Representantes de movimentos sociais e da ASA expuseram as conquistas implantadas a partir dos governos Lula e Dilma, dizendo que, o momento era de agradecimento a esses governos pelas conquistas alcançadas no Semiárido, além de exposições de  novas propostas para que o Semiárido Nordestino continue avançando e ampliando sempre mais as políticas publicas de alcance social, num eventual segundo mandato de nossa candidata a Presidenta Dilma. 


Dilma, em sua fala aproveitou da ocasião para agradecer a presença de todos e disse se sentir muito honrada por ser recebida de forma calorosa pelos Nordestinos do Semiárido. Lembrou da importância destas eleições pois, é a partir da mesma que poderemos continuar contribuindo e governando com parcerias importantes que aqui fizemos neste primeiro governo, aproveito para pedir o voto pois ele, é muito importante para podermos continuar a ser a presidenta de vocês, (aplausos...), para que assim, possamos trabalhando com maior afinco e avançar com nossos projetos e programas de desenvolvimento deste País, e, de igual modo continuar desenvolvendo o Semiárido Nordeste, que foi abandonado por décadas pelos governos do passado, que deixaram o Semiárido Nordestino em situação de extrema pobreza onde lhes faltavam: Eletrificação, água, cisterna, saúde, educação, moradia, crédito, assistência técnica, reforma agrária, essas políticas, só quem tinha direito era uma pequena minoria de privilegiados/as, hoje isso mudou, Verdade que não mudou completamente, mas mudou de modo considerável, melhorando sensivelmente a vida das pessoas a partir de nosso governo que criou as condições de oportunidades para todos, e isso se deve a implantação de políticas públicas de inclusão social e que teve grandes avanços depois dos governos de Lula e agora, do meu governo. Confirmou! 
Por isso, votamos em Dilma, sim!  
LEMBRANÇAS DO VELHO CHICO, ORGULHO DO SEMIÁRIDO NORDESTINO!

terça-feira, 21 de outubro de 2014

DILMA VISITA PETROLINA E MOVIMENTOS SOCIAIS ENTREGARAM MANIFESTO SOBRE O SEMIÁRIDO.

NÓS POVOS DO SEMIÁRIDO, QUEREMOS DILMA 13

Nós, povos do semiárido, nos reunimos para dizer para o Brasil-em especial áqueles que preconceituosamente afirmam que o voto dos nordestinos/as é o voto dos desenformados/as-que somos brasileiros /as não nos consideramos superiores e nem inferiores ao povo de nenhuma outras regiões. Somos brasileiros/as e, como tais, temos o direito de votar em quem quisermos e sermos respeitados/as por isso, assim como respeitamos o direito de escolha dos companheiros/as do sul, do centro ou de qualquer outra região do País.
Queremos dizer também que se vivermos uma situação diferenciada e de mais pobreza, isso se deu em virtude das políticas públicas eleitoreiras e de combate à seca, de concentração e de exclusão que foram dirigidas ao Semiárido e ao Nordeste, e não por conta da nossa natureza e/ou falta de inteligencia e de capacidade. Esta situação de exclusão e miséria só começou a ser sanada com políticas adequadas à nossa realidade e que trazem sustentabilidade e desenvolvimento para todos/as e não apenas para alguns.
Nos últimos 12 anos nossa situação mudou significativamente para melhor e queremos que esta mudança continue, se aprofunde e cresça, nos tirando efetivamente da exclusão. Neste contexto, nosso voto é inteligente e expressa o País em que acreditamos.
Queremos um país que cresça por igual e não apenas em alguma regiões. Este não é o voto dos grotões. É um voto claro, aberto, explicito e cidadão.
Votamos em Dilma, sim!
Votamos na política que avaliamos como importante para o País, para o Semiárido e para o Nordeste.
Durante seculos vivemos às margens da educação básica, do acesso à terra, à água e aos territórios, da assistência técnica, do crédito, da moradia, da eletrificação, do saneamento, da universidade, do Seguro Safra, de beneficiar e comercializar nossos produtos. No Semiárido, só quem tinha direito a essas coisas era uma pequena minoria de privilegiados/as que nos exploravam e que enriquecia mais e mais a cada estiagem.
Hoje, isso mudou. Verdade que não mudou totalmente, mas mudou de modo considerável, melhorando sensivelmente a nossa vida.
Hoje são 100 mil famílias que vivem no Semiárido produzindo alimentos de qualidade e saudáveis. O crédito para agricultura familiar passou de R$ 3 bi (há pouco mais de 10 anos) para R$ 23 bi atuais. Beneficiamos e vendemos nossos produtos. Nossos filhos-mesmo nas comunidades rurais mais afastadas-têm mais acesso à educação e estão nas universidades e escolas técnicas. Temos também mais assistência técnica para a produção e assistência médico-hospitalar.
Atravessamos, nos últimos três anos, uma estiagem cruel e dura, em que não morreu nenhum filho ou filha do Semiárido em decorrência disso. Tampouco precisamos trocar votos por água, enquanto em outras estiagens milhares de pessoas pereceram de fome.
Nosso voto quer dizer ao Brasil que conquistamos muitos direitos, mas que queremos manter e aprofundar todas essas conquistas e ir além, pois ainda nos resta muito a conquistar. Nosso voto também significa que não queremos a volta de um Brasil onde desemprego, fome e miséria são naturalizados.
Para o Semiárido Mudar Mais, queremos Dilma, Sim.
Queremos uma reforma agrária adequada ao Semiárido. Para incluir milhares de famílias ainda excluídas devemos garantir a elas o acesso a terra, com crédito, assistência técnica, acompanhamento sistemático e garantia de comercialização de seus produtos.
Queremos a delimitação e garantia dos territórios dos povos indígenas e das populações tradicionais. Sem seus territórios, esses povos permanecem à margem dos processos de desenvolvimento.
Queremos que todas as famílias que tiveram acesso à água para consumo humano tenha também água para produzir alimentos, contribuindo para a segurança alimentar e nutricional da mulheres e homens da região.
Queremos que sejam tomadas medidas urgentes para que o Brasil deixe de ser o maior consumidor mundial de agrotóxicos, garantindo mais saúde para todas as regiões do País.
Queremos superar as desigualdades entre mulheres e homens, deixando para trás as situações de violência que se impõem sobre as mulheres, que no Semiárido têm como pano de fundo a divisão sexual do trabalho.
Queremos a democratização dos meios de comunicação para que possamos ter instrumentos de reafirmação da identidade e de fortalecimento das lutas pelos nosso direitos.
PELO SEMIÁRIDO DILMA PRESIDENTA 13.

Terça, 21 de Outubro de 2014 - 09:40 Corte de água atinge 60% dos paulistanos, diz Instituto Datafolha

Corte de água atinge 60% dos paulistanos, diz Instituto Datafolha
Foto: Moura/Estadão Conteúdo
Ao menos 60% dos paulistanos já ficaram sem água em algum momento nos últimos 30 dias. Isso é o que indica a pesquisa Datafolha. Três em cada quatro atingidos pelos cortes de água disseram que a interrupção no fornecimento durou mais de seis horas. O corte acaba afetando 65% da população pobre e 32% dos que tem renda superior a 10 salários mínimos, ainda de acordo com os dados da pesquisa. Dos entrevistados, 66% afirmam que planejam estocar água, em relação aos 34% que já estão fazendo isso. Entre as medidas tomadas pela maioria da população de classe baixa, estão a de deixar de lavar a calçada (89%), reutilizar água (82%), para de lavar o carro (54%) e deixar de usar máquina de lavar roupa (51%). Já entre os ricos, as principais medidas tomadas foram não mais lavar o carro (76%), não lavar calçadas (68%) e reutilizar água (59%). O pessimismo quanto à crise no abastecimento de água é alto (88%) e a cada quatro entrevistados, três dizem que o problema poderia ter sido evitado pelo governo do estado.

Terça, 21 de Outubro de 2014 - 10:40 Por conta da votação do segundo turno, eleitores não podem ser presos a partir desta terça

Por conta da votação do segundo turno, eleitores não podem ser presos a partir desta terça
Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil
Por determinação do Código Eleitoral, a partir desta terça-feira (21) até 48 horas após o encerramento da votação do segundo turno, que ocorre no próximo domingo (26), nenhum eleitor poderá ser preso ou detido, exceto por flagrante, em decorrência de sentença por crime inafiançável ou por desrespeito a salvo-conduto. Na Bahia, ocorre apenas a escolha entre Aécio Neves (PSDB) ou Dilma Rousseff (PT) para presidente da República, já que o pleito estadual foi definido já no primeiro turno. No entanto, apesar do horário de verão, que começou no último domingo, os eleitores deverão se dirigir a sua seção eleitoral entre as 8h e as 17h, no horário local. Com informações da Agência Brasil.