sexta-feira, 29 de abril de 2016

Sexta, 29 de Abril de 2016 - 08:00 Ex-vice da Caixa Econômica acusa Eduardo Cunha de ter recebido propina

Ex-vice da Caixa Econômica acusa Eduardo Cunha de ter recebido propina
Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil
Negociando uma delação premiada, ex-vice presidente da Caixa Econômica Federal Fábio Cleto confirmou pagamentos de propina ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), considerado seu padrinho político. Indicado ao cargo por Cunha, Cleto negociou uma delação com a Procuradoria-Geral da República (PGR) após ter sido alvo de uma operação de busca e apreensão da Polícia Federal, em dezembro do ano passado. Caso seja confirmada a denúncia, será a sétima vez que Eduardo Cunha é citado em depoimentos da Lava Jato. Nessas denúncias preliminares, o ex-vice da Caixa confirmou que houve os pagamentos de propina a Cunha já relatados pelos delatores da Carioca Engenharia, Ricardo Pernambuco e Ricardo Pernambuco Júnior. De acordo com os delatores, o presidente da Câmara cobrou R$ 52 milhões de propina em troca da liberação de verbas do fundo de investimentos do FGTS para o projeto do Porto Maravilha, do qual a Carioca Engenharia obteve a concessão em consórcio com as construtoras OAS e Odebrecht. "O congressista [Cunha] tinha comprovada conexão com Fábio Cleto, então vice-presidente da instituição financeira federal e membro do conselho curador do FGTS", escreveu Janot em fevereiro, ao abrir um inquérito contra Cunha sobre o caso. Em eventual afastamento da presidente Dilma Rousseff, Cunha será o segundo na linha sucessória presidencial. O deputado já é alvo de duas denúncias da Lava Jato, nas quais foi acusado de recebimento de propina. "Não conhecemos a delação", afirmou a assessoria de Cunha, que já havia negado seu envolvimento com a Carioca Engenharia. 

Sexta, 29 de Abril de 2016 - 10:00 Provocada por Randolfe, Janaina apoia impeachment de Michel Temer

por Isabela Bonfim e Luísa Martins | Estadão Conteúdo
Provocada por Randolfe, Janaina apoia impeachment de Michel Temer
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) esperou até 1h da manhã desta sexta-feira, 29, para poder pregar uma peça na autora do pedido de impeachment, Janaina Paschoal, na sessão dedicada a ouvir os denunciantes na comissão especial. Ele fez uma explanação apresentando a edição de decretos de créditos suplementares específicos e pediu, em seguida, a opinião de Janaína sobre esses documentos. A jurista defendeu que os créditos suplementares sem a autorização do Congresso Nacional configuram crime de responsabilidade e devem ser punidos com o impeachment. "Muito bem, fico feliz com sua opinião, porque a senhora acabou de concordar com o pedido de impeachment do vice-presidente Michel Temer", disse Randolfe. "Essas ações que eu li foram tomadas pelo vice". A professora ficou constrangida e tentou se explicar. Apenas algumas horas antes ela havia dito que não havia indícios suficientes para pedir o impeachment de Temer. "O Vice-presidente assina documentos por ausência do presidente, por delegação. Neste caso, não há o tripé de crimes continuados e intercalados entre si", tentou justificar. Já perto da meia-noite, quando a sessão já andava morna, a denunciante Janaina Paschoal se exaltou com o senador Telmário Mota (PDT-RR) depois que ele questionou se ela era advogada do procurador da República Douglas Kirchner, demitido pelo Conselho Nacional do Ministério Público por suspeita de agredir e torturar a esposa. "Não quero! Não vou admitir", gritou. Ela levou uma bronca do presidente da comissão, senador Raimundo Lira (PMDB-PB). "Por favor, vamos falar em um tom compatível com o ambiente em que nós estamos". Convidada ao lado do advogado Miguel Reale Jr. para detalhar o pedido de impeachment que tramita no Congresso, Janaína rebateu que "seu cliente nunca bateu na mulher" e que a autoria das agressões é de uma tia da vítima. "Tudo tem limite, meus clientes são sagrados", protestou, retirando-se da sala. O senador Telmário Mota treplicou que fez várias perguntas técnicas sobre o embasamento jurídico da denúncia contra Dilma e que a questão sobre o procurador era secundária. "Respondeu porque quis", alfinetou, recebendo críticas do líder do PSDB, senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB). "Lamento essa intimidação. Querem transformar em ré a pessoa que acusa", afirmou o tucano. Janaína retornou à mesa e pediu desculpas ao presidente pelo comportamento. Antes de sair do plenário, Telmário Mota também pediu desculpas discretas à denunciante, que sorriu e seguiu ouvindo o orador seguinte, senador José Pimentel (PT-CE), líder do governo no Congresso. Quando chegou a vez de o senador Romário (PSB-RJ) falar, oito horas depois do início da sessão da comissão especial, o ex-jogador comparou Janaína Paschoal a si próprio. "Você me lembra muito um jogador que usava a camisa 11 no passado da Seleção Brasileira e que não se intimidava com tamanho do zagueiro. Era destemido e teve muito sucesso em sua carreira", disse, elogiando a advogada e, claro, a si próprio. Foi a primeira intervenção do senador na comissão, da qual é titular. Em sua fala, declarou-se favorável ao impeachment da presidente Dilma Rousseff. "Tomei essa decisão baseado na letra da Constituição Federal", afirmou, sustentando que Dilma abriu créditos suplementares sem autorização do Congresso Nacional. O ex-atleta continuou destacando "a coragem, a determinação e o conhecimento jurídico" de Janaina Paschoal. "Estou impressionado". A jurista respondeu: "O senhor se refere àquele atacante que ficava ali, na boca, só esperando para fazer o gol? Olha, e cada gol bonito... Não é rasgação de seda, mas não dá para esquecer. Independentemente de time ou de se declarar favorável ao meu pedido, parabenizo a Vossa Excelência pela carreira e também por ter entrado na política." Romário se despediu do plenário desejando bom dia aos companheiros, uma vez que já havia passado da meia-noite.

Sexta, 29 de Abril de 2016 - 10:40 Em comissão do impeachment, Barbosa diz que não houve crime de responsabilidade

Em comissão do impeachment, Barbosa diz que não houve crime de responsabilidade
Foto: Rovena Rosa/ Agência Brasil
O ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, negou nesta sexta-feira (29), na Comissão especial do impeachment do Senado, que a presidente Dilma Rousseff tenha praticado crime de responsabilidade fiscal. "A aceitação do pedido de impeachment como foi feito pela Câmara dos Deputados está baseada em fatos ocorridos em 2015, e em 2015 apenas. Desses fatos, o pedido de impedimento se baseia na edição de decretos de crédito suplementar em duposto desacordo com a legislação e atrasos de pagamento do Plano Safra, que caracterizariam [segundo o pedido de impeachment] operações de crédito", afirmou o ministro da Fazenda. Para Barbosa, Dilma não praticou crime por editar decretos de crédito suplementar em 2015, em alegada desconformidade com o orçamento, e também por atrasar pagamentos aos bancos públicos, procedimento  conhecido como "pedaladas fiscais". "Considero não haver base legal para o impeachment da presidente da República. Tenho certeza que isso ficará claro, quer seja gora no Senado ou no futuro", disse o ministro. Segundo Barbosa, os decretos de crédito estão compatíveis com a legislação. "É como uma lista de supermercado e o dinheiro que você tem no bolso. Tem R$ 100 para comprar em arroz, feijão, macarrão e ovo. O orçamento é a lista de supermercado e o limite financeiro é quanto você tem no bolso. Ao longo do processo, alguém diz que errou na lista e que, ao invés de comprar macarrão, compre manteiga. Você muda a lista, mas o valor que você pode usar continua sendo o mesmo. Mudar a lista não altera o valor que você tem para gastar", explicou. No caso das "pedaladas fiscais", o ministro afirmou que elas " "são autorizadas por lei e regulamentadas pela decisão de ministros".

Sexta, 29 de Abril de 2016 - 11:20 Em comissão do impeachment, Katia Abreu questiona: 'quem nunca atrasou conta?'

Em comissão do impeachment, Katia Abreu questiona: 'quem nunca atrasou conta?'
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
A ministra da Agricultura, Katia Abreu, questionou durante a Comissão especial do impeachment do Senado, realizada na manhã desta sexta-feira (29), "quem nunca atrasou o pagamento de suas contas, um percentual ínfimo". Para a ministra, o atraso no pagamento de subsídios do Tesouro Nacional para os bancos públicos, processo  conhecido como "pedaladas fiscais", não representam operação de crédito. Segundo Katia, a lei distingue "claramente" o que é uma subvenção, ou subsídio, de uma operação de crédito. "Crédito é o que o produtor faz com o banco. Nesse caso [pagamento de subsídios atrasados], não existe contrato de mútuo, data de vencimento, isso não pode ser encarado como empréstimo", argumentou. "Eu apoio a presidente Dilma pela reciprocidade que ela deu à agricultura nos últimos cinco anos. Não adiantaria nada a presidente Dilma apoiar a agricultura se ela fosse desonesta. Também apoio a presidente Dilma porque acredito na sua honestidade e no seu espírito público", encerrou. 

Animais causam acidente na BR-407 entre ponto novo e Filadélfia

    0 Comment

Por volta das 11:50 desta quinta-feira (28) dois animais na pista causaram um acidente na BR-407, trecho do povoado de Aroeira, entre Ponto Novo e Filadélfia. O veículo ocupado por cinco pessoas, vinha de Feira de Santana sentido Senhor do Bonfim.
Segundo informações colhidas no local do acidente, o condutor tentou desviar de dois “jegues” que estavam na pista, quando perdeu o controle caindo da ribanceira. Populares prestaram socorro, quebrando os vidros do veículo para retirar as vítimas. Os ocupantes  foram encaminhados ao Hospital São Sebastião, na cidade de Filadélfia.
No ocorrido foram registrados apenas prejuízos materiais.
Web Interativa

Embasa inicia testes em Sistema de Integração da região de Senhor do Bonfim


    0 Comment


A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) iniciou os testes operacionais da obra de integração e ampliação dos sistemas de Senhor do Bonfim, Andorinha, Jaguarari e Itiúba, um empreendimento de R$ 60 milhões, realizado com recursos do PAC, BNDES e próprios da Embasa.  A Obra, que está em fase de conclusão, vai atender cerca de 130 mil pessoas com água da Barragem de Ponto Novo. Toda a estrutura montada para integrar os sistemas incluiu uma estação de tratamento de água com capacidade para produzir 330 litros de água por segundo, uma estação de tratamento de lodo residual do tratamento da água, 115 quilômetros (km) de adutoras com diâmetros variados, 66 km de redes de distribuição, 2.000 ligações domiciliares com hidrômetros e a construção de quatro reservatórios de água e de cinco estações elevatórias (bombas).
De acordo com o gerente regional da Embasa, Vinícius Araújo, os testes operacionais serão realizados em trechos e momentos distintos, gradativamente, até a conclusão total da obra. “Neste primeiro momento, Andorinha e parte de Senhor do Bonfim (Igara e adjacências) já começaram a receber água através deste sistema integrado, e pretendemos ampliar os testes para levar água até Jaguarari e Itiúba a partir da semana que vem”, afirmou.
Trecho da adutora 500mm em Filadélfia
Após a conclusão, o empreendimento vai atender, inicialmente, 77 localidades dos municípios de Senhor do Bonfim, Andorinha, Filadélfia, Itiúba e Jaguarari.  “Além de ampliar a oferta de água, a obra também vai melhorar os sistemas existentes e garantir mais segurança hídrica à região, trazendo mais qualidade de vida à população beneficiada”, garantiu o gestor.
Localidades beneficiadas:
Andorinha: Sede, Lagoa da Pedra, Medrado, Melancia, Quixaba, Salgado, Sítio do Domingos, Tanquinho do Poço e Vila Peixe.
Jaguarari: Sede, Aroeira e Cajueiro
Itiúba: Sede e Picos
Filadélfia: Alegre, Aguadas, Aroeira, Cabeça da Vaca, Cajueiro, Carrapato, Gavião, Morrinho, Mucunum, Poço d’água, Riacho do Mulungu e Várzea da Serra. (até aqui 26)
Senhor do Bonfim: Sede, Alagoinhas, Anacleto, Anjo, Baraúnas, Botequim, Cachoeirinha, Caldeirão de Dentro, Capote, Cariacá, Carrapichel, Caatinguinha, Campo do Meio, Cazumba I, Cazumba II, Cruzeiro,Gameleira, Garrote, Igara, Itapicuru, Lajes, Lagoa do Boi, Lagoa do Cocho, Lagoa da Pedra, Lagoa do Tanque, Lagoa Grande, Limões, Maria Preta, Mamoeiro, Passagem Velha, Pebas, Pé do Morro, Pereiros, Pinica-Pau, Quebra Facão, Queimada, Quicé, Rancharia, Raposa, Socotó, Sítio de Umburana, Tanquinho, Tapuia, Terreirinho, Tijuaçu, Três Morros, Troncho, Umburanas, Urubú, Várzea do Mulato e Várzea Comprida.
*Por Adriano Aleixo
Assessoria de Comunicação da Embasa
Unidade Regional de Senhor do Bonfim

“Ruralista vai pedir a Temer intervenção do Exército em caso de invasões”

    0 Comment

O presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado Marcos Montes (PSD-MG), disse que pretende incluir pedido de intervenção do Exército em caso de invasão de terras e bloqueios de estradas entre as propostas que irá entregar ao vice-presidente Michel Temer. Segundo ele, para isso seria necessária uma mudança na Constituição.
“Os Estados não suportam mais a confusão que às vezes se instala em suas regiões. Precisamos que esses movimentos não sejam mais municiados pelo governo, como tem ocorrido com o MST”, disse ao chegar para uma reunião com Temer nesta quarta-feira, 27.
Para Montes, pedir essa intervenção não remete à ditadura militar. “Precisamos garantir o direito à propriedade”, afirmou. Além da FPA, participam da reunião os presidentes das Confederações da Agricultura (CNA), da Indústria (CNI), das Cooperativas (CNCoop), de Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida (CNSeg) e de Saúde (CNS).
ESTADÃO

PT decide não fazer transição com Temer e deixar vice ‘à míngua’

Em comissão do impeachment, Katia Abreu questiona: 'quem nunca atrasou conta?'
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
A ministra da Agricultura, Katia Abreu, questionou durante a Comissão especial do impeachment do Senado, realizada na manhã desta sexta-feira (29), "quem nunca atrasou o pagamento de suas contas, um percentual ínfimo". Para a ministra, o atraso no pagamento de subsídios do Tesouro Nacional para os bancos públicos, processo  conhecido como "pedaladas fiscais", não representam operação de crédito. Segundo Katia, a lei distingue "claramente" o que é uma subvenção, ou subsídio, de uma operação de crédito. "Crédito é o que o produtor faz com o banco. Nesse caso [pagamento de subsídios atrasados], não existe contrato de mútuo, data de vencimento, isso não pode ser encarado como empréstimo", argumentou. "Eu apoio a presidente Dilma pela reciprocidade que ela deu à agricultura nos últimos cinco anos. Não adiantaria nada a presidente Dilma apoiar a agricultura se ela fosse desonesta. Também apoio a presidente Dilma porque acredito na sua honestidade e no seu espírito público", encerrou. 

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Quarta, 27 de Abril de 2016 - 18:00 Aplicativo permite denúncias de crimes durante eleições na Bahia

Aplicativo permite denúncias de crimes durante eleições na Bahia
Foto: Divulgação
Um aplicativo desenvolvido pelo Ministério Público Federal (MPF) vai permitir que a população faça, de forma gratuita, denúncias de crimes eleitorais em tempo real durante o pleito deste ano. Com a ferramenta “SAC MPF”, o usuário poderá denunciar irregularidades como abuso de poder político ou econômico, compra de votos e propaganda irregular, além de solicitar informações sobre processos. A instituição espera que a ferramenta seja bastante utilizada nas eleições, principalmente nas cidades do interior, onde geralmente o cidadão encontra dificuldade para se reportar à Procuradoria Regional Eleitoral (PRE-BA) ou à Justiça Eleitoral. Para utilizar o serviço, o usuário deve cadastrar a manifestação por meio de um formulário simples, com um relato da solicitação, sendo possível anexar documentos, fotos, áudios ou vídeos de até 12 MB para melhor identificar a situação descrita. As demandas enviadas através do aplicativo são direcionadas à Sala de Atendimento ao Cidadão do MPF e, caso se tratem de temas eleitorais, serão remetidas à PRE/BA, para distribuição aos Promotores Eleitorais atuantes nos municípios, que apurarão os fatos e adotarão as medidas cabíveis.

Quarta, 27 de Abril de 2016 - 17:20 Lula se reúne com senadores e evita manifestar apoio à proposta de novas eleições

Lula se reúne com senadores e evita manifestar apoio à proposta de novas eleições
Foto: Rovena Rosa / Agência Brasil
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se reuniu nesta quarta-feira (27) com senadores em Brasília, ocasião na qual manifestou otimismo quanto à votação do relatório sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). De acordo com a Folha, Lula evitou falar se apoia ou não à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prevê eleições presidenciais em outubro deste ano - a PEC foi protocolada por um grupo de seis senadores de partidos diversos. A reunião ocorreu no apartamento da senadora Lídice da Mata (PSB-BA) e contou com a presença dos senadores João Capiberibe (PSB-AP), Otto Alencar (PSD-BA), Wellington Fagundes (PR-MT) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP), além do senador Jorge Viana (PT-AC). Os senadores apresentaram a Lula as eleições como uma saída possível para desatar o atual "nó político", ao repassar ao eleitor a decisão sobre o futuro da Presidência. Senadores presentes relataram que o presidente ouviu "com atenção" as ponderações, mas envitou apoiar a proposta, dizendo apenas que iria refletir sobre o tema.

Quarta, 27 de Abril de 2016 - 18:20 Criança de seis anos morre vítima da gripe H1N1 em Teixeira de Freitas

Criança de seis anos morre vítima da gripe H1N1 em Teixeira de Freitas
Foto: Divulgação
Uma criança de seis anos morreu vítima da gripe H1N1 em Teixeira de Freitas, região sul da Bahia. De acordo com informações divulgadas pela Secretaria Municipal de Saúde nesta quarta-feira (27), a morte na última sexta-feira (22). A criança, que não teve sexo divulgado, veio a óbito 24 horas após dar entrada na Unidade Municipal Materno Infantil (UMMI) com sintomas da gripe. Ainda de acordo com a secretaria, a causa da morte foi confirmada por exames realizados em um laboratório de Salvador e foi informada à Secretaria Estadual de Saúde. O órgão informou também que, após a confirmação de dois casos de infecção pelo vírus na cidade, a prefeitura decidiu intensificar a vacinação, já que o fluxo nos postos de saúde aumentou. 

Quarta, 27 de Abril de 2016 - 18:50 Renan se reúne com Temer e Aécio em Brasília

Renan se reúne com Temer e Aécio em Brasília
Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), recebeu nesta quarta-feira (27) o vice-presidente Michel Temer, seu correligionário, e o senador Aécio Neves (PSDB-MG) na residência oficial do presidente do Senado. O vice-presidente deixou a reunião sem falar com a imprensa, pouco após tirar fotos junto com Renan e com o senador tucano, presidente nacional do PSDB. Segundo a Agência Brasil, o principal partido de oposição ainda não definiu se deve ter participação direta em um eventual governo Temer, caso seja aprovado o impeachment da presidente Dilma Rousseff, em análise no Senado. Lideranças tucanas, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o senador José Serra (SP) já deram declarações públicas em que não descartam que PSDB ocupe cargos num eventual governo do PMDB. A decisão será tomada pela direção nacional, segundo Aécio. O presidente do Senado tem realizado uma série de reuniões desde esta terça (26), quando a Casa elegeu o presidente – Raimundo Lira (PMDB-RJ) – e o relator – Antonio Anastasia (PSDB-MG) – da comissão que vai analisar se aceita o processo de afastamento de Dilma, cuja admissibilidade foi aprovada na Câmara. Ainda nesta terça, Renan se reuniu com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na residência oficial.

Quarta, 27 de Abril de 2016 - 22:00 Águia de Haia: MPF denuncia prefeito de Ribeira do Pombal por fraude em licitações

Águia de Haia: MPF denuncia prefeito de Ribeira do Pombal por fraude em licitações
Foto: Google Street View
Mais um prefeito foi denunciado devido à Operação Águia de Haia, iniciada em julho de 2015, que apura desvio de recursos federais do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). Desta vez, o Ministério Público Federal (MPF) denunciou o prefeito do município de Ribeira do Pombal, Ricardo Maia Chaves de Souza, a secretária de educação, Marla Viana Cruz, e mais seis pessoas por fraude em licitações. Entre os denunciados está também o empresário Kells Belarmino Mendes, supostamente envolvido em fraudes em cerca de 20 municípios. Mendes e seu grupo são acusados de aliciar prefeitos e servidores públicos em troca de dinheiro. A quadrilha forjava os processos de licitação, utilizando empresas vinculadas à organização para manter uma aparência de legalidade, e superfaturavam os valores dos contratos. De acordo com a denúncia da procuradora regional da República Raquel Branquinho, basta uma simples leitura do texto da solicitação de demanda de pregão presencial “para que se verifique tratar de uma contratação direcionada às supostas funcionalidades dos produtos/serviços comercializados pelas empresas vinculadas a Kells Bellarmino Mendes”. Apontado como chefe da quadrilha, Mendes possuiria um esquema bem montado de desvio de verbas públicas e de corrupção de agentes políticos e servidores públicos. O grupo utilizava recursos do Fundeb para a contratação ilegal de produtos e serviços de tecnologia da informação para escolas. De acordo com o MPF, os serviços quase não eram prestados, porque a maioria das escolas não possuíam internet e as que possuíam sofriam com a ausência de pessoal para utilizar o sistema. Mesmo sem a execução dos serviços, a maioria dos contratos foi paga integralmente. No caso do município de Ribeira do Pombal não houve concorrência. Uma única empresa do grupo participou da licitação e foi contratada. Por falta de aumento no repasse dos recursos ao município de Ribeira do Pombal, o próprio prefeito Ricardo Maia não autorizou a execução do serviço, configurando apenas o crime de fraude de licitação, sem o desvio de verbas. Oferecida perante o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), a denúncia pede perda do cargo de prefeito e inabilitação, pelo prazo de cinco anos, para o exercício de cargo ou função pública

Quinta, 28 de Abril de 2016 - 07:00 Renan diz que não vai se posicionar em primeira votação do impeachment no Senado

Renan diz que não vai se posicionar em primeira votação do impeachment no Senado
Foto: Jonas Pereira/ Agência Senado
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse nesta quarta-feira (27) que não se posicionará na sessão da Casa que vai votar o relatório da comissão do impeachment e que pode afastar a presidente Dilma Rousseff por até 180 dias. Para o parlamentar, é necessário que ele mantenha uma postura imparcial até a segunda etapa do processo. “Nesta primeira votação, não vou votar e não devo votar, porque a isenção do cargo requer que eu tenha condições de continuar conversando com todo mundo, não me permite ter lado. Ao final, cada senador será transformado em julgador”, disse Renan. Para a abertura do processo de impeachment no senado, que deve ser votado no dia 11 de maio, é necessária a aprovação da maioria simples dos senadores. No julgamento final do processo, dois terços dos senadores precisam votar 'sim' para condenar a presidente e afastá-la definitivamente do cargo. Nesta quarta, o presidente do Senado também se reuniu com o vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP) e Aécio Neves (PSDB-MG). “Nós falamos da necessidade de superarmos essa pauta de ocupação de cargos. Isso é uma coisa que está sendo contrariada pela sociedade brasileira. A virada que esse momento pode ou não possibilitar, requer uma qualificação dessa pauta", comentou Renan.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

O Projeto Lula 2016

COLUNA ESPLANADA

Lula soltou o seu projeto de Poder: a antecipação das eleições presidenciais para outubro deste ano

O Projeto Lula 2016
Grupo a favor da antecipação da eleição diz já ter 30 senadores que avalizam a proposta (Foto: EBC)
Com a certeza da iminente ascensão de Michel Temer ao gabinete presidencial e o alto risco de não voltar mais ao Palácio como mandatário, o ex-presidente Lula soltou o seu projeto de Poder: a antecipação das eleições presidenciais para outubro deste ano, simultâneas às eleições para prefeitos e vereadores. O PT já encampa o discurso, uma PEC foi apresentada no Senado e um grupo de senadores ligados a Lula, capitaneados por Paulo Paim (PT-RS), já busca apoio em entidades civis.
Balela
O grupo a favor da antecipação da eleição – o projeto Lula 2016 – diz já ter 30 senadores que avalizam a proposta. O presidente do Senado, Renan Calheiros, é um.
Última cartada
Lula não vê outra saída para manter o PT no Poder – perde Dilma agora, mas quer aproveitar sua exposição e os índices nas pesquisas de popularidade para tentar voltar.
Porta a porta
Paulo Paim e João Capiberibe (PSB-AP) visitaram ontem o presidente da OAB Nacional, Cláudio Lamachia, para pedir apoio. O conselho da Ordem vai avaliar.
Lamúrias
Antes de deixar o PT e o Senado para assumir a Secretaria de Educação do Governo da Bahia, o senador Walter Pinheiro, do grupo Lula 2016, saiu resmungando. “O Congresso é corporativista. Para votar a PEC da ‘Janela’ (que permitiu a troca de partidos) foi ligeiro. A PEC das Eleições deveria ter o mesmo tratamento”.
Lima no jaleco
Decisão da 29ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro (processo nº 0159400-09.2003.5.01.0029) ordenou que o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) demita os funcionários contratados sem concurso após 1989. O Cofen pode recorrer.
Do cofrinho
Alheio aos impasses judiciais-financeiros, o Cofen promove esta semana seminário no luxuoso Hotel Blue Tree Rio Poty em Teresina (PI) com tudo pago pelo órgão. A Coluna já revelou que a autarquia gosta de pagar palestras de ministros do TCU, responsáveis por fiscalizar suas contas.
Chave na ignição
A Operação Zelotes da PF já tem em mãos os movimentos bancários de Antonio Palocci e Erenice Guerra dos últimos anos. E o camburão está com a chave na ignição.
Aí tem
Marcelo Odebrecht teve duas derrotas ontem. O STF negou HC para sua libertação em Curitiba. Horas antes, o STJ negou recurso da empreiteira para barrar envio de documentos da Suíça para a Operação Lava Jato.
Replay
O presidente da comissão de impeachment, senador Raimundo Lira, e o senador Garibaldi Alves são os únicos remanescentes na Casa que votaram no impeachment do hoje colega Fernando Collor. “O tempo passou e a história se repete”, diz Garibaldi.
Fogo na lavoura  
Ex-comandante da CNA, a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, bate de frente com o presidente João Martins, seu aliado que a sucedeu. Enquanto Kátia defende a amiga Dilma Rousseff, a CNA reverbera oficialmente a tese do afastamento imediato.
Celebridade
O filho do ex-sindicalista Lula, Luís Cláudio Lula da Silva, tem bom gosto. No feriado jantou no caríssimo restaurante Zuma Restaurant, em Miami, frequentado por celebridades e por importantes nomes do esporte mundial.
Lugar certo
“Ponto de encontro dos que apreciam as boas coisas da vida” é o tradicional slogan do estabelecimento. Por lá, por enquanto, não há risco de hostilidades nem cuspes.
Ponto Final
“Vamos dar um não à desordem, à bagunça, à baderna, à bandeira vermelha. Vamos dar um sim à bandeira do Brasil, verde, amarela, azul e branca.”
De Fernando Collor de Mello, referindo-se a Lula, em debate, em 14 de dezembro de 1989.

Com Walmor Parente  Equipe DF, SP e Nod

PSDB negocia adesão total a governo Temer Partido tucano negocia condições para conceder a Michel Temer o apoio total de seus membros

         REGRAS PARA O APOIO

27 abr, 2016

PSDB negocia adesão total a governo Temer
Aécio e Cássio Cunha Lima afirmam que PSDB pode participar de um possível governo Temer (Foto: George Gianni/PSDB)
O PSDB impôs duas condições a Michel Temer para que ele tenha a adesão total do partido em um eventual governo.
A primeira condição é que toda a conversa de Temer com o PSDB se dê em “caráter institucional”, ou seja, o senador José Serra (PSDB) não deverá ser o único consultado por Temer. A segunda condição é que Temer e o PMDB se mantenham distantes das eleições municipais deste ano, consideradas prioridades eleitorais do partido tucano.
Na última terça-feira, 26, o presidente nacional do PSDB, o senador Aécio Neves, disse que o partido não vai se opor a eventuais participações de seus membros num possível governo Temer. A opinião de Aécio foi apoiada pelo líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima.
“O desejo do partido é de ter uma relação institucional com o novo governo. O PSDB não quer que o PMDB faça conosco o que o PT fez com o PMDB”, disse Lima, após se reunir com Temer.

Cunha reclama de celeridade em processos contra ele

         ‘ALVO DE PERSEGUIÇÃO’

Presidente da Câmara se diz impressionado com a celeridade e a seletividade em relação aos processos que o envolvem


Dilma Rousseff já admite que afastamento da presidência é 'inevitável', diz jornal

Quarta, 27 de Abril de 2016 - 12:40

Dilma Rousseff já admite que afastamento da presidência é 'inevitável', diz jornal

Foto: Roberto Stuckert Filho/ PR
A presidente Dilma Rousseff já considera "inevitável" o seu afastamento do governo. Segundo a Folha de S. Paulo, o Palácio do Planalto agora tenta impedir que Michel Temer "se aproprie" de seus projetos, anunciando todas as medidas que estiverem quase prontas antes da votação do impeachment no Senado, prevista para acontecer no dia 11 de maio. Caso as acusações contra a presidente sejam acatadas pela Casa, ela fica afastada do poder por até 180 dias. O governo deve insistir no discurso de que uma eventual presidência de Michel Temer é ilegítima e que Dilma é vítima de um golpe. Ainda de acordo com a Folha de S. Paulo, a estratégia tem o aval do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Entre as medidas que Dilma deseja anunciar antes da votação no Senado estão as licitações dos aeroportos de Salvador, Fortaleza, Florianópolis e Porto Alegre, além da concessão de portos e ajustes tributários.

A 100 dias dos Jogos Olímpicos, Guardian destaca Brasil como 'república de bananas'

A 100 dias dos Jogos Olímpicos, Guardian destaca Brasil como 'república de bananas'

Quarta, 27 de Abril de 2016 - 13:00
Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil
No dia em que a contagem regressiva para a abertura dos Jogos Olímpicos chega a 100 dias, o jornal inglês Guardian destaca os problemas vividos pelo Brasil. Em sua edição impressa desta quarta-feira (26), ele deixa de lado o esporte e se refere ao país como "república de bananas". Na reportagem, o jornal afirma que o Rio de Janeiro "entra na reta final olímpica parecendo mais uma clássica república de bananas do que uma economia emergente moderna a ponto de assumir seu lugar entre as principais do mundo". Segundo a BBC Brasil, a versão online do texto substitui a expressão “república de bananas" por "república latino-americana". Entre os problemas listados pelo Guardian estão a crise estão a crise política, as dificuldades financeiras e a epidemia do Zika vírus. O jornal inglês também cita dificuldades específicas da capital carioca, como o desabamento de um trecho da ciclovia Tim Maia, que matou duas pessoas, a poluição da Baía de Guanabara e a morte de 11 trabalhadores durante a construção das instalações olimpicas.

Comissão do impeachment no Senado vai ouvir Barbosa e Kátia Abreu

Quarta, 27 de Abril de 2016 - 14:00

por Isabela Bonfim | Estadão Conteúdo


Comissão do impeachment no Senado vai ouvir Barbosa e Kátia Abreu
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
Na segunda sessão da comissão especial do impeachment no Senado, nesta quarta-feira, 27, os senadores analisam convites de especialistas para que participem das sessões de discussão do processo de afastamento da presidente Dilma Rousseff. Mesmo sob críticas de que o governo não deveria trazer representantes de bancos públicos, os requerimentos foram aprovados por acordo, permitindo que tanto defesa quanto acusação trouxessem seus convidados. Os governistas conseguiram aprovar o convite dos ministros da Fazenda, Nelson Barbosa, e da Agricultura, Kátia Abreu. Eles participarão da audiência na próxima sexta-feira, 29, junto com um representante do Banco do Brasil, que é o operador do Plano Safra. No mesmo dia, o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, fará a defesa da presidente. Antes disso, na quinta-feira, 28, os autores do pedido de impeachment, Janaína Paschoal e Miguel Reale Jr., farão a apresentação dos argumentos da acusação. Na próxima semana, dois dias serão dedicados à fala de especialistas em direito e economia, indicados tanto pela defesa quanto pela acusação. 

Confira o calendário de audiências da comissão:

28/04 - Apresentação dos denunciantes: Miguel Reale Jr. e Janaína Paschoal

29/04 - Apresentação da defesa da presidente: José Eduardo Cardozo (AGU), Kátia Abreu (Agricultura), Nelson Barbosa (Fazenda) e representante do Banco do Brasil

02/05 - Especialistas da acusação: Júlio Marcelo de Oliveira (TCU), Carlos Velloso (ex-ministro do STF) e José Maurício Conti (USP)

03/05 - Especialistas da defesa: Geraldo Luiz Mascarenhas Prado (UFRJ), Ricardo Lodi Ribeiro (UFRJ) e Marcello Lavenère (ex-presidente da OAB)