sábado, 27 de maio de 2017

Janot pede autorização ao STF para depoimento de Temer em inquérito da JBS.

 

Folhapress
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao STF, nesta sexta-feira, para interrogar Michel Temer pelas acusações contra o presidente na delação da JBS. Janot afirmou que também deseja ouvir em depoimento o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e o deputado federal Rocha Loures (PMDB-PR), também citados pela empresa.
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu autorização ao STF (Supremo Tribunal Federal) para ouvir o depoimento do presidente Michel Temer (PMDB) no inquérito que i... - Veja mais em https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2017/05/26/janot-quer-autorizacao-do-stf-para-interrogar-temer-sobre-jbs.htm?cmpid=newsletternoite-26052017&cmpid=copiaecola
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot O procurador-geral da República, Rodrigo Janot O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu autorização ao STF (Supremo Tribunal Federal) para ouvir o depoiment... - Veja mais em https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2017/05/26/janot-quer-autorizacao-do-stf-para-interrogar-temer-sobre-jbs.htm?cmpid=newsletternoite-26052017&cmpid=copiaecola
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot O procurador-geral da República, Rodrigo Janot O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu autorização ao STF (Supremo Tribunal Federal) para ouvir o depoiment... - Veja mais em https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2017/05/26/janot-quer-autorizacao-do-stf-para-interrogar-temer-sobre-jbs.htm?cmpid=newsletternoite-26052017&cmpid=copiaecola
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot O procurador-geral da República, Rodrigo Janot O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu autorização ao STF (Supremo Tribunal Federal) para ouvir o depoiment... - Veja mais em https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2017/05/26/janot-quer-autorizacao-do-stf-para-interrogar-temer-sobre-jbs.htm?cmpid=newsletternoite-26052017&cmpid=copiaecola

Vai recorrer


Folhapress
Os procuradores da Operação Lava Jato em Curitiba afirmaram que o Ministério Público Federal vai recorrer da absolvição da jornalista Claudia Cruz, mulher do ex-deputado Eduardo Cunha. O procurador Carlos Lima disse que a sentença veio do "coração generoso" do juiz Sergio Moro. De acordo com o MPF, Claudia Cruz participou do esquema de propina por fazer uso "indireto" do dinheiro.

Governo convoca 2,4 mil estudantes universitários para programa 'Partiu, Estágio'

Sábado, 27 de Maio de 2017 - 09:00
Governo convoca 2,4 mil estudantes universitários para programa 'Partiu, Estágio'
Foto: Mateus Pereira / GOVBA
O governo do estado convocou nesta sexta-feira (26) 2.410 universitários inscritos no programa 'Partiu, Estágio'. Os estudantes foram comunicados da seleção via e-mail, mas a lista com os jovens convocados está no site da Secretaria da Administração (Saeb). O governador Rui Costa destacou a chamada em seu perfil no Facebook. "Adotamos o critério de priorizar os alunos que fizeram o ensino básico na escola pública e inscritos no CadÚnico. No dia 13, faremos a assinatura do contrato para dar ingresso a esses jovens que terão a oportunidade de reforçar seu aprendizado nos órgãos e empresas públicas do estado", explicou Rui. Os estudantes deverão comparecer ao local de estágio em até 10 dias úteis a contar da data de recebimento do e-mail convocatório, munidos de documentos pessoais. São requeridos comprovante de residência; original e cópia da Carteira de Identidade (RG); original e cópia do CPF; original e cópia da carteira de identidade do representante legal ou do termo de guarda expedida por autoridade judicial, se for o caso; declaração da instituição de ensino informando o semestre letivo, turno de estudo, curso de formação e a natureza presencial; comprovante de matrícula e frequência na instituição de ensino. O estudante também deve apresentar declaração própria de que não exerce atividade remunerada em órgão público; original e cópia do título de eleitor, se for o caso; original e cópia do certificado de reservista, se for o caso; Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS); comprovação de inscrição no CadÚnico, se for o caso; histórico escolar do Ensino Médio; declaração da escola em que cursou ensino médio como bolsista integral, se for a situação; e e-mail convocatório emitido pelo sistema. O estudante que não apresentar a documentação exigida na data da contratação perderá a vaga de estágio.

Família de Gilmar Mendes é fornecedora de gados para JBS, diz jornal

Sábado, 27 de Maio de 2017 - 10:40
Família de Gilmar Mendes é fornecedora de gados para JBS, diz jornal
Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil
A família do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), é fornecedora de gados para a JBS. A empresa é uma das maiores processadoras de carne do mundo e celebrou recentemente acordo de delação, homologado pela Corte. De acordo com a Folha, o próprio Gilmar informou sobre a relação de sua família com a JBS. "Minha família é de agropecuaristas e vendemos gado para JBS lá [Mato Grosso]. (...) Eu já havia encontrado [o Joesley Batista, sócio da empresa] em outras ocasiões. A JBS tem um grande frigorífico em Diamantino [MT], minha terra, implantado pelo grupo Bertin no governo Blairo [Maggi, quando governador do estado entre 2003 e 2010]", disse Gilmar. O ministro detalhou que é um irmão o responsável por negociar valores com a empresa. Mas a relação comercial não é motivo para ele se declarar impedido de participar de votações futuras referentes à empresa no STF. As informações foram passadas ao ser questionado sobre um encontro com Joesley Batista neste ano. A reunião ocorreu, segundo Gilmar,a pedido do advogado Francisco de Assis e Silva, um dos delatores da empresa. Joesley apareceu de surpresa no encontro, que tratou de questão referente ao setor de agronegócio, e ocorreu no IDP, escola de Direito em Brasília da qual o ministro é sócio. Gilmar Mendes disse que o encontro aconteceu depois de 30 de março, quando o tribunal julgou o Funrural, fundo abastecido com contribuições de produtores rurais à Previdência. Os ruralistas questionavam o pagamento ao fundo na Justiça e o STF manteve a obrigatoriedade. Gilmar afirmou que votou contra os interesses da JBS. O ministro ainda disse que Joesley pediu também para encontrar uma fórmula que permitisse o alongamento da contribuição.

Sequestro em Irecê: Empresário da Boi Gordo e mais 2 são libertados após 48h em cativeiro

Sábado, 27 de Maio de 2017 - 14:00
Sequestro em Irecê: Empresário da Boi Gordo e mais 2 são libertados após 48h em cativeiro
Foto: Reprodução / Google Street View
Três vítimas de sequestro no município de Irecê foram libertadas neste sábado (27), após cativeiro de 48h. De acordo com o delegado Ernandes Junior, titular da delegacia do município, o sequestro aconteceu na última quinta-feira, por volta de 3h da madrugada, quando foram capturados um empresário da distribuidora Boi Gordo, um funcionário da empresa e um cliente. "Entraram em contato com a família, inicialmente pedindo resgate no valor de R$ 30 milhões", contou o delegado em entrevista ao site Líder Notícias. Após acionada, a Polícia Civil iniciou operação junto à Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) e ao Comando de Operações Especiais (COE). As três vítimas foram libertadas sem lesões e sem necessidade do pagamento de resgate. O delegado contou ainda que, após a libertação, as equipes saíram em busca dos criminosos. "Chegando na BA-052, após Morro do Chapéu, avistamos um carro e interceptamos. Houve o revide deles e tivemos que revidar também", disse. Durante o tiroteio, dois dos suspeitos foram mortos. Foram encontradas com eles armas, algemas e balaclavas, que teriam sido usadas no sequestro. Os criminosos não foram identificados. A polícia segue em investigação para prender o restante da quadrilha.

Estado Islâmico assume autoria de atentado que matou 29 cristãos no Egito

Sábado, 27 de Maio de 2017 - 15:20
Estado Islâmico assume autoria de atentado que matou 29 cristãos no Egito
Foto: Reprodução / Amerika Ninsei
O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) assumiu a autoria de um ataque contra um ônibus no qual viajavam cristãos coptas na província de Minia, no sul do Egito, que deixou 29 mortos e 13 feridos nesta sexta-feira (26). Em comunicado, cuja autoria não pôde ser comprovada e divulgado através do Telegram, o grupo informou que "soldados do Califado" cometeram o atentado em que mais de 31 "cruzados" (em referência aos cristãos) perderam a vida. Segundo a Agência Brasil, a organização jihadista explicou na nota que um grupo de homens realizaram uma "emboscada" quando os cristãos seguiam em direção ao mosteiro de São Samuel, ao oeste de Minia. Além disso, disse que pelo menos 24 dos cristãos ficaram feridos e que um dos veículos foi incendiado. De acordo com os últimos dados da procuradoria egípcia, que entrevista testemunhas e feridos do ataque, dois carros, nos quais havia seis homens mascarados, pararam em frente ao ônibus para bloquear o caminho. Dois jihadistas do grupo entraram no ônibus, que transportava os cristãos coptas, e roubaram todos os bens enquanto ameaçavam os passageiros com armas de fogo. Em seguida, segundo a procuradoria, os jihadistas começaram a disparar dentro do veículo, uma versão que difere da que foi divulgada  pelo Ministério do Interior, na qual os terroristas teriam atirado aleatoriamente de seus carros, e não de dentro do ônibus. Os investigadores informaram também que encontraram outro carro queimado a 200 metros de distância do local onde ocorreu o ataque e que várias armas foram encontradas no interior do veículo durante uma inspeção. O EI assume desta maneira a autoria do terceiro massacre contra os cristãos coptas nos últimos seis meses, que deixaram quase 80 mortos no tota

Everaldo diz que ACM Neto não tem coragem de se candidatar em 2018

Sábado, 27 de Maio de 2017 - 16:00
Everaldo diz que ACM Neto não tem coragem de se candidatar em 2018
Foto: Cláudia Cardozo / Bahia Notícias
O presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, rebateu críticas feitas pelo prefeito ACM Neto (DEM) ao Governo do Estado (veja aqui) neste sábado (27). "Milionário e dono de uma das empresas afiliadas da golpista Rede Globo, o prefeito ACM Neto é um cara de pau. Sua propaganda, além de mentirosa, é direcionada para a TV Bahia e para outros veículos da sua propriedade", afirmou. Durante o Encontro Estadual da Juventude Democratas, o prefeito de Salvador criticou a "irresponsabilidade dos gastos e mentiras contadas pelo governo nas peças publicitárias", além de anunciar que atenderá o "clamor" do povo baiano nas eleições de 2018. Everaldo disse não acreditar na candidatura de Neto por falta de força, pela sua ligação com o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves e pelo receio de ser derrotado pelo governador Rui Costa. "A Bahia não quer ser governada por um político golpista e cercado de Menudos e mauricinhos que só buscam vantagens pessoais e não trabalham pelos mais pobres", acrescentou o petista. Sobre a segurança pública, outro assunto abordado por Neto, Everaldo disse que quem deve responder são os policiais, que "foram maltratados e desprezados pelos governos carlistas, que lhes tiraram salários e condições de trabalho".

Tribos indígenas da Bahia fazem acampamento na AL-BA por educação e demarcação de terras

Sábado, 27 de Maio de 2017 - 17:20
Tribos indígenas da Bahia fazem acampamento na AL-BA por educação e demarcação de terras
Foto: Divulgação
Com o objetivo de debater a conjuntura política e cobrar a demarcação de terras indígenas na Bahia, cerca de 450 índios de diversas tribos baianas vão acampar no estacionamento da Assembleia Legislativa (AL-BA), na segunda-feira (29). A ação faz parte do Acampamento dos Povos Indígenas no estado, que acontece até o próximo dia 31 e terá debates sobre território, conjuntura, direitos e política indígena no Brasil. Nesta sexta-feira (26), lideranças dos povos Pataxó e Payayá tiveram um encontro mediado pelo deputado Marcelino Galo (PT) com o presidente da AL-BA, deputado Ângelo Coronel (PSD). Além de apoio à demarcação de terras, a reunião tratou da educação indígena e da estrutura de apoio para o Acampamento dos Povos Indígenas no estacionamento do parlamento baiano, onde devem ser instaladas representações de 143 comunidades, 22 etnias dos quase 57 mil índios no estado. Participaram da reunião Cacique Mucugê e as lideranças Katicoco e Mandi, do Prado, Cacique Payayá, de Utinga e o coordenador do Mupoiba, Kanru, Pataxó de Coroa Vermelha. "O presidente Ângelo Coronel recebeu os líderes indígenas muito bem e garantiu o apoio necessário. Dialogamos sobre as demandas e direitos dos povos indígenas, que são fundamentais, e da necessidade do apoio político do parlamento baiano para garantir a efetivação desses direitos constitucionais", afirmou Galo, que preside a Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública da Assembleia Legislativa. Coronel assegurou o aluguel de 20 banheiros químicos, obtenção de eletricidade para o evento, carros pipas, disponibilização do Serviço Médico e utilização de parte do estacionamento lateral para instalação da cozinha do acampamento. "Esta Casa  sempre estará aberta  para ouvir os reclamos da sociedade, dos baianos, sem distinção de classe, religião ou etnia", frisou o presidente da AL-BA. Na Bahia, segundo levantamento do Conselho Indigenista Missionário, foram registrados cinco homicídios contra índios em 2015, motivados pela disputa de terras. O sul do estado é onde os conflitos agrários ocorrem, historicamente, de maneira mais acirrada e violenta.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Ministério prorroga campanha nacional de vacinação contra gripe

Sexta, 26 de Maio de 2017 - 11:00
Ministério prorroga campanha nacional de vacinação contra gripe
Foto: Diogo Moreira / A2img
Programada para acabar nesta sexta-feira (26), a campanha de vacinação contra gripe foi prorrogada até 9 de junho. De acordo com o Ministério da Saúde, a meta é imunizar 90% das 54,2 milhões de pessoas que compõem o público-alvo. No entanto, até esta quinta-feira (25), apenas 63,6 receberam a dose da vacina. Dos grupos que podem tomar a vacina, os idosos têm a maior cobertura até o momento: 72,4% desse público já se vacinou. Entre as puérperas, o alcance foi de 71,2%, seguido dos indígenas, com 68,6%. Os grupos que menos se vacinaram foram as crianças, com 49,9% de cobertura, gestantes, com 53,4%, e trabalhadores de saúde, com 64,2%.

Cardeal da Silva: Força-Tarefa flagra 6 pessoas em trabalho escravo em fazenda

Sexta, 26 de Maio de 2017 - 14:20
Cardeal da Silva: Força-Tarefa flagra 6 pessoas em trabalho escravo em fazenda
Foto: Divulgação / SRTE/BA
Pelo menos seis pessoas foram encontradas em condições degradantes de trabalho em uma fazenda em Cardeal da Silva, no agreste baiano. Conforme a força-tarefa encerrada nesta sexta-feira (26) pela Superintendência Regional do Trabalho na Bahia (SRTE/BA), os trabalhadores eram usados no corte de mata nativa para produção clandestina de carvão em uma fazenda de propriedade de Amarílio Souza Santos e Thiago Cerqueira Santos. Pelo menos, oito fornos foram encontrados no local. Para cada saca de carvão produzido pelos homens, eles recebiam apenas R$7 (sete reais), totalizando cerca R$ 200 por semana, o que sequer garantia o pagamento de um salário mínimo mensal. Ainda segundo a força-tarefa, os empregados dormiam em barracos improvisados de madeira, no meio da mata atlântica, em contato com insetos e outros animais. Eles também dormiam em cima de barracões de lona, sem colchões, e as necessidades fisiológicas eram realizadas a céu aberto, sem direito a banho ou ingestão de água potável. Conviviam ainda com escassez de alimentos, consumindo carne conservadas em sal. Além disso, foi constatado que os trabalhadores contratados tinham dívidas com alimentação com o empregador, com a comprovação do abuso encontrada em um caderno com as referidas informações. Segundo Alisson Carneiro, auditor-fiscal do trabalho da Superintendência Regional do Trabalho na Bahia, as carteiras de trabalho não eram assinadas e as atividades eram realizadas sem equipamento de proteção. O auditor que participou da operação esclareceu ainda que as habitações foram interditadas, tendo sido lavrados mais de 20 autos de infração. A força-tarefa teve apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF-BA) .

Procurador ironiza absolvição de Cláudia Cunha e fala em 'coração generoso' de Moro

Sexta, 26 de Maio de 2017 - 14:40
Procurador ironiza absolvição de Cláudia Cunha e fala em 'coração generoso' de Moro
Foto: Divulgação
O procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima, integrante da força-tarefa da Operação Lava Jato, ironizou a absolvição da jornalista Cláudia Cruz, mulher do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ),  e atribuiu o desfecho ao “coração generoso” do juiz Sérgio Moro, que emitiu a decisão. “Nós sabemos que parte desses valores [propina recebida por Cunha] foi utilizado por Cláudia para comprar bens de alto valor”, disse, segundo informações do site Paraná Portal, para completar:  “Acredito que isso [a absolvição] decorre muito mais do coração generoso de Moro, que a absolveu por ser esposa de um criminoso, ligado a corrupção”, declarou, em entrevista coletiva. Cláudia Cunha foi absolvida dos crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas por falta de provas suficientes do dolo [intenção].  O procurador defendeu que a esposa do peemedebista fosse condenada. “É ausente qualquer justificativa de ganhos desses valores do marido, que nada mais era do que deputado federal, com ganhos limitados. Ela tinha indicativos e conhecimentos culturais para saber que os valores eram frutos de dinheiro ilícito”, apontou. “O gastá-lo ela cometeu o crime de lavagem. O ato dela não é justificável, é criminoso”.

Fachin pede redistribuição de inquérito contra Jutahy Jr. por receber caixa 2

Sexta, 26 de Maio de 2017 - 15:40
Fachin pede redistribuição de inquérito contra Jutahy Jr. por receber caixa 2
Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ Bahia Notícias
O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, pediu nesta sexta-feira (26) à ministra Cármen Lúcia, presidente da Corte, a redistribuição do inquérito que investiga crime de caixa dois pelo deputado federal Jutathy Magalhães Júnior (PSDB-BA). No requerimento, Fachin justificou que “os fatos em apuração se referem tão somente ao suposto repasse, pelo Grupo Odebrecht, de valores a parlamentar em época de eleição”, o que, no seu entendimento, permite a livre distribuição dos autos. O ministro ainda argumentou que as denúncias investigadas não possuem conexão com as demais apurações, especialmente àquelas ligadas a irregularidades na Petrobras. O parlamentar baiano foi citado nas delações premiadas de dois executivos da Odebrecht, Benedicto Barbosa da Silva Júnior, o ‘BJ’, e José de Carvalho Filho, como beneficiário de doações irregulares nas campanhas eleitorais de 2010 e 2014. Segundo os delatores, nestes anos, ele recebeu R$ 350 mil e R$ 500 mil, respectivamente. Os pagamentos foram feitos pelo Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, o chamado “Departamento de Propinas” da empreiteira.

Janot pede autorização ao STF para Temer ser interrogado pela Polícia Federal

Sexta, 26 de Maio de 2017 - 16:50
Janot pede autorização ao STF para Temer ser interrogado pela Polícia Federal
Foto: Marcos Corrêa / PR
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu autorização ao Supremo Tribunal Federal (STF) para a Polícia Federal interrogar o presidente Michel Temer, o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), o deputado federal afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) e outros citados na delação da empresa JBS. Segundo informações do G1, o documento foi encaminhado ao ministro Edson Fachin, responsável pelos processos da Operação Lava Jato no STF. Janot delega para o ministro a responsabilidade de definir como deve ser feito o interrogatório. A defesa de Temer já pediu que ele seja feito por escrito e apenas depois de perícia na gravação da conversa entre o presidente e o empresário Joesley Batista.

Entenda o golpe de mestre de Joesley Batista via Teoria dos Jogos

Tática adotada por Joesley Batista é a dominante para qualquer um que pense como um 'homem de negócios'

Entenda o golpe de mestre de Joesley Batista via Teoria dos Jogos
Como bom homem de negócios o delator sabia que precisava de algo raro, valioso e irrefutável (Reprodução/Rede Globo)
O empresário Joesley Batista deu um xeque-mate. Fez uma jogada de mestre. A perplexidade de alguns contracena com a ação eficiente de Joesley, sócio da JBS, para salvar seu grupo empresarial e sua liberdade, típica de quem domina a lógica do novo modelo de compra e venda de informações. Farei uma análise via Teoria dos Jogos, tema que tenho procurado estudar[1]. Sou favorável à delação premiada, embora reconheça que há certa ambiguidade e ausência parcial de regras claras sobre o modo de produção desse modelo negocial. Para entender o êxito da estratégia definida por Joesley e seus advogados, seguirei o seguinte trajeto:
1) as investigações estavam chegando aos interesses de seu grande conglomerado empresarial, cujos lucros foram de R$ 4,6 bilhões em 2015 e de R$ 694 milhões em 2016, sendo necessário agir para (i) manter a vitalidade da empresa e (ii) mitigar os efeitos da ação penal sobre a liberdade dos sócios;
2) para obter a estratégia dominante/dominada, abrem-se duas táticas: (i) passiva: aguardar o desenrolar das investigações, tomando-se medidas preventivas, arriscando-se em um processo penal cujos estragos seriam postergados no tempo (que custa dinheiro), com a real possibilidade de sanções patrimoniais e principalmente a prisão dos envolvidos internamente, dentre eles Joesley; (ii) ativa: agir para produzir material capaz de ser trocado no mercado da delação premiada, atualmente em pleno funcionamento no sistema processual penal brasileiro. A escolha foi pela segunda opção, lançando-se a campo. Na avaliação de riscos, a tática adotada é a dominante para qualquer um que pense como um “homem de negócios”;
3) adotada a tática ativa, surge a necessidade de que as informações tenham valor de troca, ou seja, de que seja possível chamar a atenção dos compradores (Ministério Público e Polícia Federal) pela qualidade e relevância, bem assim do fator impacto de seu conteúdo;
4) inventariar a informação exigia um duplo movimento entre o passado e o futuro. De um lado, levantou-se o que tinha de informação capaz de chamar a atenção dos compradores e, por outro lado, diante da oportunidade de consolidar as informações produzindo gravações que seriam a prova real, agiu de modo eficiente. O portfólio de provas a se mostrar foi bem desenhado, contando com a coprodução de agências estatais, capazes de atestar a regularidade e a cadeia de custódia: ação controlada, monitoramento do dinheiro por chip etc. Como bom negociador do mercado, o delator sabia que precisava de algo raro, valioso e irrefutável;
5) no atual contexto, nada melhor do que gravações de conversas para causar o impacto direto, irrefletido, imediato e avassalador. Se não há o produto, seria necessário o criar. A produção de material probatório então precisava de uma estratégia de aquisição que, habilmente, contou com o planejamento estratégico de ações, coordenadas para comprovação das conversas, devidamente gravadas, a entrega de dinheiro, previamente identificado e com localização por chip eletrônico, tudo para comprovar a cadeia de custódia do dinheiro. Delineado o curso tático, promoveu-se com pleno êxito, juntando-se, em ordem: a) conversas gravadas indicando a realização das condutas; b) efetivação das ações programadas; c) filmagens e monitoramento eletrônico do trajeto do dinheiro; c) preservação das fontes e do material produzido;
6) a consolidação do material de alto valor fez com que fosse possível, invertendo a tendência passiva, a negociação dos termos finais da delação, mediante cooperação, pagamento de multa relevante, mas incapaz de impedir a continuidade das atividades, evitando-se, ainda, a prisão. Xeque-mate desferido, rei encurralado, delação homologada, segue-se adiante com novos desafios do mercado. Aliás, com informação privilegiada sobre corte de juros e alta do dólar, o que fez o nosso personagem: utilizou a informação para operar seus interesses, “rifando” o Brasil, como aponta o jornal Valor Econômico.
Os juristas do processo penal baunilha não entendem muito bem como isso se passa. Tenho insistido em ler o processo penal pela via da Teoria dos Jogos justamente para indicar um design de compreensão dos processos penais reais, cujo palco probatório deixou de ser no Poder Judiciário, para se resolver na fase de investigação, onde uma gravação vale ouro, a saber, gravações são o novo Habeas Corpus.
O império da tecnologia e das múltiplas possibilidades de gravação fizeram com que, se alguém quer agir de modo a se precaver ou se garantir, deva começar a gravar tudo e todos, em qualquer situação, dado que isso pode ter valor no futuro. Não se trata mais de produção de verdades, mas, sim, de pura análise de custo-benefício em face de um processo penal transformado em um balcão de negócios de compra e venda de informações, pena e liberdade.
P.S. Você pode ser perguntar por que alguns meios de comunicação que sempre defenderam os protagonistas, agora, inverteram o jogo. A questão é meramente econômica: a) a informação é relevante e com gravações, hot notícia; b) quem der o furo da informação ganha mais acessos e melhora a audiência; c) a JBS é um anunciante importante aos meios de comunicação; d) na análise de custo-benefício, não há questões morais ou éticas; e) quando o time está perdendo, economicamente, vale a pena mudar de lado e ganhar. Eis o jogo do mercado midiático. Ler Ramonet ajudaria a compreender.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

OAB protocola 16º pedido de impeachment contra presidente Michel Temer

Quinta, 25 de Maio de 2017 - 15:40
por Júlia Vigné
OAB protocola 16º pedido de impeachment contra presidente Michel Temer
Foto: Eugenio Novaes / OAB
A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) protocolou um pedido de impeachment contra o presidente Michel Temer nesta quinta-feira (25). É o 16ª requerimento de deposição interposto contra o atual presidente. A Ordem decidiu, em uma reunião extraordinária no último sábado (20), por 25 votos a um, pelo pedido de instauração do processo. O requerimento foi realizado após a divulgação de uma gravação entre o empresário Joesley Batista e Temer. De acordo com a OAB, o áudio contém prova material suficiente para que o chefe do Executivo seja impedido. Após a divulgação do material, 12 pedidos de impechment foram protocolados. Dentre as denúncias contra Temer, a OAB aponta a omissão por ter ouvido que Joesley comprou procuradores e juízes no processo da Lava Jato e não ter denunciado a ação ao Ministério Público. "Houve a comunicação, pelo interlocutor, da ocorrência de ao menos um tipo penal certo, que emerge da afirmação de que possui um contato não republicano, dentro da força tarefa do Ministério Público Federal, que lhe está passando informações, caracterizando, supostamente, crime de violação de sigilo funcional", diz a decisão. O pedido ainda reforça que a Constituição Federal define como crime de responsabilidade os atos do presidente que atentem contra o cumprimento das leis. A Ordem requer que Temer perca o mandato e que fique inabilitado para exercer cargo público por oito anos. Durante coletiva realizada no salão verde da Câmara dos Deputados nesta quinta, o presidente da OAB, Claudio Lamachia, explicou o pedido protocolado na casa legislativa. "O presidente declara [nas coletivas que realizou posteriormente] que escutou deste empresário, que ele denominou como fanfarrão e como delinquente, todos aqueles crimes. E de nada naquele momento, nada fez ao que escutou. Esse é o fato que tornou-se incontroverso a partir da própria declaração do senhor presidente da República", explicitou. A entidade requereu que cinco testemunhas sejam inquiridas ao longo do processo: os donos da JBS, Joesley Batista e Wesley Batista; Ricardo Saud, diretor da J&F; o diretor executivo de relações institucionais da JBS, Francisco de Assis e Silva e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Caso aprovado, o pedido irá correr na Câmara dos Deputados e depois no Senado Federal. A Ordem também entrou com pedido de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff, que foi cassada.

Temer revoga decreto que liberou uso das Forças Armadas na Esplanada dos Ministérios

Quinta, 25 de Maio de 2017 - 11:18
Temer revoga decreto que liberou uso das Forças Armadas na Esplanada dos Ministérios
Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil
Após críticas, o presidente Michel Temer (PMDB) decidiu revogar o decreto que autorizou o uso de tropas das Forças Armadas na Esplanada dos Ministérios. A decisão foi publicada em uma edição extraordinária do Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (25). No texto, o presidente afirma que considerou a "cessação dos atos de depredação e violência e o consequente restabelecimento da Lei da Ordem no Distrito Federal". Essa revogação acontece menos de 24 horas após a assinatura do decreto que autorizou o envio de tropas para a Esplanada. No momento, manifestantes protestavam pela saída de Temer do governo e contra as reformas propostas pelo Planalto. Grupos chegaram a atear fogo no Ministério da Agricultura e um manifestante acabou baleado.

Às vésperas do julgamento de processo de cassação, pressão política chega ao TSE

Quinta, 25 de Maio de 2017 - 11:20
Às vésperas do julgamento de processo de cassação, pressão política chega ao TSE
Foto: Divulgação/ TSE
A pressão política em torno do presidente Michel Temer, que teve seu mandato abalado após vir à tona parte do conteúdo da delação da JBS, chegou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).  Independente de outros movimentos, como eventual renúncia do peemedebista, a Corte tem o destino dele nas mãos: começa o julgamento do processo de cassação da chapa Dilma Rousseff – Michel Temer no próximo dia 6. Segundo informações da coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, os ministros discutiram o caso nos bastidores do tribunal na última quinta-feira (18), quando foi deflagrada a Operação Patmos, baseada na delação da JBS. Segundo Painel, um membro do TSE questionou os colegas se aquele seria “o melhor momento” para o julgamento, dada a repercussão. Um colega o repreendeu, dizendo que quem tivesse dúvida deveria pedir vista. Os ministros afirmam também que há uma sensação de imprevisibilidade quanto ao resultado, que se agravou diante do silêncio de Gilmar Mendes, que não tem conversado com os colegas sobre o processo. No Congresso, os partidos que ainda compõem a base aliada esperam a decisão do tribunal para deixar de vez a aliança.

Sede do Partido dos Trabalhadores em Curitiba é incendiada durante a madrugada

Quinta, 25 de Maio de 2017 - 15:20
Sede do Partido dos Trabalhadores em Curitiba é incendiada durante a madrugada
Foto: Reprodução / YouTube
A sede do Partido dos Trabalhadores do Paraná (PT-PR), em Curitiba, foi incendiada na madrugada desta quinta-feira (25). Por volta das 4h20 da madrugada, dois indivíduos encapuzados passaram em frente à sede do partido e atiraram as garrafas com líquido inflamável e pavio aceso. De acordo com o Paraná Portal, eram garrafas de vinho cheias de líquido inflamável e pavio de palha de aço presa com fita crepe. Um dos artefatos atingiu a parede pelo lado de fora e explodiu, espalhando o fogo pela fachada. As chamas apagaram sozinhas. O segundo rompeu o vidro e entrou em uma das salas do edifício. A garrafa não quebrou e o pavio apagou sozinho. "É muito grave essa tentativa de incêndio na sede de um partido, que não é a primeira. Fico muito indignado com a intolerância, como tem pessoas que não toleram pensamento distinto do dele, uma ideologia diferente. Numa madrugada, se queimar a sede do PT nós lamentamos enquanto patrimônio, mas os vizinhos poderiam ser vítimas de uma catástrofe se o fogo atingisse a residência", declarou o presidente do partido no Estado, Doutor Rosinha. Boletim de ocorrência foi registrado na polícia. Esse é o quarto atentado cometido contra o PT-PR e funcionários da sede desde março. 

Parlamentares protocolam pedido de CPI Mista para investigar JBS

Quinta, 25 de Maio de 2017 - 16:00
por Igor Gadelha e Renan Truffi | Estadão Conteúdo
Parlamentares protocolam pedido de CPI Mista para investigar JBS
Foto: Valter Campanato / Agência Brasil
O senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) e o deputado Alexandre Baldy (PTN-GO) protocolaram nesta quinta-feira (25) o pedido de instalação de uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para investigar as operações financeiras da JBS, cujos donos e executivos incriminaram o presidente Michel Temer em delação premiada. Segundo Baldy, o pedido foi protocolado com "mais de 200" assinaturas de deputados e "mais de 30" de senadores. Os apoiamentos serão conferidos pelos técnicos legislativos. Para que o colegiado seja instalado, são necessárias, no mínimo, 27 assinaturas de senadores e 171 de deputados federais. A CPMI pode ser instalada logo após a leitura do ato de criação pelo presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE). O colegiado será composto por 13 senadores e 13 deputados, a serem indicados pelos líderes partidários. De acordo com Baldy, o "acordo" é para que Ataídes seja o presidente da comissão e ele, o relator principal. O objetivo da CPMI será investigar a atuação do frigorífico JBS no mercado financeiro. O requerimento distribuído pelo tucano aos parlamentares faz menção aos "danos causados" pela empresa ao mercado financeiro, em referência a uma suposta operação de compra de dólares por parte da companhia antes da divulgação do conteúdo das denúncias. Segundo Ataídes, um dos primeiros requerimentos que será apresentado na CPMI será o da convocação dos irmãos Batista, Joesley e Wesley, para depoimento. Eles são os donos da JBS e responsáveis pela delação que desestabilizou a gestão Temer. O senador tucano nega que a CPMI seja uma retaliação à delação dos empresários.

Dono da Globo diz a Moreira Franco que emissora apoia renúncia de Temer

Quinta, 25 de Maio de 2017 - 17:40
Dono da Globo diz a Moreira Franco que emissora apoia renúncia de Temer
Foto: Tânia Rêgo/ Agência Brasil
O secretário-geral da Presidência, Moreira Franco, e um dos mais próximos assessores do presidente Michel Temer, conversaram na segunda-feira (22), no Rio de Janeiro, com o vice-presidente das Organizações Globo, João Roberto Marinho. Segundo a coluna de Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo, Franco reclamou do tom da cobertura da TV Globo na crise política gerada pela divulgação das delações de executivos do frigorífico JBS. A conversa ocorreu em tom ameno, mas Marinho disse que o posicionamento da empresa continuará o mesmo: o grupo defende a renúncia de Temer. A posição foi expressa em editorial.