terça-feira, 28 de junho de 2016

Explosões na Turquia


Osman Orsal/Reuters
Duas explosões atingiram o principal aeroporto de Istambul, na Turquia, na tarde de hoje. A suspeita é que dois homens-bomba se explodiram após troca de tiros com forças de segurança locais. Segundo o governo, 28 pessoas morreram e 60 ficaram feridas.

A Turquia está em estado de alerta há vários meses por conta de ameaças do grupo terrorista Estado Islâmico.

Novas acusações


AFP
Nelson Mello, ex-diretor do Grupo Hypermarcas, apontou repasse de R$ 30 milhões em propina aos senadores Romero Jucá (RR), Renan Calheiros (AL) e Eduardo Braga (AM), todos do PMDB. A declaração foi feita em delação premiada à Procuradoria-Geral da República.

Mello disse que deu o dinheiro a dois lobistas para pagar os senadores. Os peemedebistas e a Hypermarcas negam envolvimento em irregularidades.

Por elogio a torturador


Myke Sena - 21.jun.2016/Framephoto/Estadão Conteúdo
O Conselho de Ética da Câmara abriu um processo contra o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ). Ele é acusado de faltar com o decoro parlamentar durante voto pela abertura do processo de impeachment de Dilma Rousseff, em abril.

Na ocasião, Bolsonaro fez uma homenagem ao coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, que comandou o DOI-Codi (Destacamento de Operações Internas) de São Paulo na ditadura militar, e que teria torturado Dilma. Em 2008, Ustra se tornou o primeiro militar a ser reconhecido pela Justiça como torturador durante a ditadura.

PT, PCdoB e PSB devem montar bloco para Dois de Julho; partidos definem situação nesta terça

Terça, 28 de Junho de 2016 - 00:00
por Estela Marques
PT, PCdoB e PSB devem montar bloco para Dois de Julho; partidos definem situação nesta terça
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias
Os partidos de esquerda mais proeminentes na Bahia devem sair juntos em bloco no desfile do Dois de Julho, no próximo sábado. De acordo com Marta Rodrigues, presidente do PT em Salvador, uma reunião entre o PT, PCdoB e PSB nesta terça-feira (28) definirá a estratégia dos partidos. “Cada um tem movimentos importantes no segmento popular, juventude, democracia. Vamos sair com campo democrático popular, partidos aliados nossos, em unidade”, explicou. O presidente estadual do PCdoB, deputado federal Daniel Almeida, confirmou a intenção do bloco, mas condicionou à unificação em torno do projeto para Salvador com o governo Rui Costa (PT), em especial à candidatura da deputada federal Alice Portugal à prefeitura da cidade. “Esperamos que os partidos que manifestaram apoio à candidatura participem desse bloco. PSD já tem confirmação e outros partidos devem ter definição até dia 2, como o PT, PSL e PSB”, acrescentou Almeida. A reportagem do Bahia Notícias procurou o PSB para saber o posicionamento do partido, mas o primeiro-secretário do diretório estadual, Rodrigo Hita, o Dois de Julho ainda está sem definição.

Delação cita propina de R$ 30 mi a Renan Calheiros e outros senadores do PMDB

Terça, 28 de Junho de 2016 - 06:40
por Fabio Serapião, Ricardo Brandt e Julia Affonso | Estadão Conteúdo
Delação cita propina de R$ 30 mi a Renan Calheiros e outros senadores do  PMDB
Foto: Jane de Araújo / Agência Senado
Uma nova delação premiada, firmada com a Procuradoria-Geral da República, aponta o suposto repasse de propinas milionárias para senadores do PMDB, entre eles o presidente do Congresso, Renan Calheiros (AL), Romero Jucá (RR) e Eduardo Braga (AM). Nelson Mello, ex-diretor de Relações Institucionais do Grupo Hypermarcas, afirmou em depoimento aos procuradores que pagou R$ 30 milhões a dois lobistas com trânsito no Congresso para efetuar os repasses. Lúcio Bolonha Funaro e Milton Lyra seriam os responsáveis por distribuir o dinheiro para os senadores. Mello depôs em fevereiro e, em seguida, deixou o cargo que ocupava no Hypermarcas. O advogado da empresa, José Luís Oliveira Lima, foi procurado pela reportagem, mas não se manifestou. A Procuradoria-Geral da República vai pedir ao Supremo Tribunal Federal que as afirmações envolvendo os políticos sejam investigadas. O relato não é alvo de inquérito na Operação Lava Jato. O Estado apurou que as informações repassadas por Mello referem-se à atuação de parlamentares na defesa de interesses da empresa no Congresso. Os lobistas, segundo Mello, diziam agir em nome de políticos e que estes poderiam tomar iniciativas de interesse da empresa e do setor no Congresso. Segundo o delator, Lúcio Funaro se dizia "muito próximo" do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e de outros peemedebistas da Casa. Já Milton Lyra afirmava agir em nome dos senadores "da bancada do PMDB" que teriam sido destinatários da maior parte da propina. Mello disse que conheceu os lobistas em Brasília. Ele afirmou que se "ajustou" com Funaro e Lyra para "se aproximar" do poder. Seu objetivo, declarou, era "proteger" o mercado que representava. Disse ainda que, para ele, o setor "tinha que ter uma proteção legal". Mello trabalhou por mais de 20 anos no Hypermarcas, grupo do qual se desligou depois de fechar a delação. Ele afirmou que "ressarciu" o grupo daquele montante que disse ter repassado aos lobistas. Segundo ele, a empresa Hypermarcas "não auferiu nenhuma vantagem nem sofreu prejuízos porque foi reembolsada". O executivo citou vários nomes em sua delação premiada, incluindo Renan, Jucá, Braga e Cunha. Na Operação Lava Jato, Funaro já foi apontado como operador de Cunha e responsável por viabilizar o escoamento de propina das empreiteiras para as contas do deputado afastado fora do País. Os investigadores chegaram a mapear dois carros - um Hyundai Tucson e uma Land Rover Freelander - em nome da empresa C3 Produções, da mulher de Cunha, mas que foram pagos por empresas ligadas a Funaro. Também na Lava Jato, os irmãos Milton e Salim Schahin, do grupo Schahin, disseram aos investigadores que foram ameaçados por Funaro por causa de problemas em obra de interesse dele e de Cunha. Também na apuração do cartel que atuou na Petrobrás, Lyra foi apontado como operador de Renan e seu nome apareceu em uma anotação apreendida no gabinete do senador cassado Delcídio Amaral (sem partido-MS). No documento, ele está relacionado a um suposto pagamento de R$ 45 milhões em propina para o PMDB. Em outra frente da Lava Jato, que apura desvios em fundos de pensão, Lyra é investigado por aparecer como operador de duas empresas que captaram R$ 570 milhões do Postalis, o fundo de pensão dos Correios. Todos os parlamentares citados negam envolvimento em irregularidades.

Juiz decide manter prisão de Paulo Bernardo e demais presos na Operação Custo Brasil

Terça, 28 de Junho de 2016 - 07:00
Juiz decide manter prisão de Paulo Bernardo e demais presos na Operação Custo Brasil
Foto: José Cruz / Agência Brasil
O juiz federal Paulo Bueno de Azevedo decidiu manter a prisão dos presos na Operação Custo Brasil, entre eles o ex-ministro Paulo Bernardo, o ex-tesoureiro do PT Paulo Ferreira e o ex-secretário do prefeito paulistano Fernando Haddad (PT), Valter Correia. A decisão foi tomada após oitiva com o advogado Guilherme Gonçalves, nesta segunda-feira (27). A operação prendeu dez suspeitos de participação no esqeuma de corrupção que desviou cerca de R$ 100 milhões em um contrato de gestão de empréstimos consignados do Ministério do Planejamento durante a gestão PB, como Bernardo é conhecido, entre 2005 e 2011. De acordo com a Veja, o procurador da República Rodrigo de Grandis informou que os presos continuarão detidos na sede da Superintendência da Polícia Federal na Lapa, Zona Oeste de São Paulo, onde deverão ser ouvidos até o final desta semana.

Janot reconsidera e se diz favorável ao perdão da pena de Dirceu no mensalão

Terça, 28 de Junho de 2016 - 14:00
por Gustavo Aguiar | Estadão Conteúdo
Janot reconsidera e se diz favorável ao perdão da pena de Dirceu no mensalão
Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, reconsiderou sua posição sobre a pena do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu no mensalão e enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma manifestação em que sugere a extinção da punição contra ele no caso. A mudança de posição tem como base o decreto do indulto de Natal assinado pela presidente afastada Dilma Rousseff no ano passado. A prisão de Dirceu na Lava Jato ainda quando ele cumpria pena no mensalão indica falta disciplinar grave, o que o impediria de ter a primeira condenação perdoada. Na reavaliação, no entanto, Janot aponta que a má conduta do ex-ministro teria ocorrido antes do período previsto no decreto de indulto de Natal do ano passado. Os crimes na Lava Jato teriam sido praticados até 13 de novembro de 2013, quando Dirceu já havia sido condenado no mensalão. O decreto do indulto, no entanto, impede o perdão da pena apenas a condenados que tenham cometido falta grave entre 25 de dezembro de 2014 e 25 de dezembro de 2015. Ou seja, para Janot, a regra impede que a má conduta de Dirceu seja motivo de sanção. "É certo que, para efeitos de concessão de indulto, esta prática delitiva (falta disciplinar grave) não obsta do reconhecimento do direito ao benefício" escreve Janot. A defesa de Dirceu já havia pedido ao STF o reconhecimento do indulto em favor dele. Mas a solicitação foi rejeitada pelo ministro Luis Roberto Barroso com base na primeira manifestação de Janot sobre o assunto, contrária a concessão do benefício. Por causa da Lava Jato, Dirceu foi condenado em maio deste ano pelo juiz Sérgio Moro a 23 anos e três meses de prisão por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Ele está preso em Curitiba desde agosto de 2015 e cumpria prisão em regime domiciliar, decorrente da pena no mensalão, quando foi detido pela Polícia Federal acusado de envolvimento no caso Petrobras.

Brasileiro confirma pré-candidatura e esclarece equívoco em lista do TCE


O ex-deputado Carlos Brasileiro confirmou sua pré-candidatura a prefeito de Senhor do Bonfim. Segundo ele, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) cometeu, mais uma vez, equívoco ao divulgar seu nome na lista de inelegíveis, já que a Promotoria Pública arquivou a resolução do processo de contas de 2008, apontando que não houve qualquer aplicação indevida de recursos ou improbidade administrativa. A decisão do Ministério Público, inclusive, foi acatada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que já havia ratificado a candidatura de Brasileiro tanto em 2010 quanto em 2012 e 2014.
O TCE refere-se à prestação de contas de uma verba de R$ 8.594, aplicada em duas entidades filantrópicas em Senhor do Bonfim. A correta aplicação dos recursos foi devidamente comprovada mediante apresentação de documentação à Promotoria. Com isso, o Ministério Público julgou pelo arquivamento do procedimento (Conforme documentos em anexo).
O parecer expedido pelo referido promotor foi julgado e aprovado pelo Conselho Superior do Ministério Público e acatado pelo Tribunal Regional Eleitoral e também pelo Tribunal Superior Eleitoral na época. Ou seja, o fato já foi analisado pelas duas cortes, que consideraram que não há qualquer impedimento à candidatura de Brasileiro.
“Gostaria de reafirmar a lisura e a seriedade que caracterizam a minha postura de homem público e cidadão. Não sou ficha suja, e é necessário corrigir as informações que indicam esta injustiça”, afirmou Carlos Brasileiro, que continua com as mãos limpas e teve o nome confirmado como pré-candidato a prefeito em 2016.

Motoristas deverão usar luz baixa durante o dia a partir de 8 de julho

Nova lei torna obrigatório o uso de luz baixa por motoristas que trafegam nas rodovias e túneis. Medida reduz colisões frontais. A partir de 8 julho, todos os motoristas em tráfego pelas rodovias brasileiras vão precisar manter a luz baixa acesa durante o dia. O descumprimento da norma será considerado infração média, e os condutores serão penalizados com multa de R$ 85,13 e a perda de 4 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Portaria do Ministério das Cidades, publicada nesta sexta-feira (24), criou os códigos de infração para penalização dos que descumprirem a lei 13.290, de 23 de maio de 2016. A iniciativa da mudança na legislação foi do Congresso Nacional e o DENATRAN entende que a obrigatoriedade propicia aumento da segurança nas rodovias, por melhorar o nível de visibilidade dos veículos em circulação. Pesquisas constataram uma redução entre 5% e 10% das colisões frontais com a adoção da medida

Deputado entrega trator e barracas a agricultores e feirantes em Bonfim

No último domingo (26), o deputado estadual Bobô (PCdoB) entregou um trator com implementos à Associação de Pequenos Agricultores de Boqueirão e Adjacências, em Senhor do Bonfim. Acompanharam o parlamentar, o chefe de gabinete da Sudesb, Gustavo Miranda, e o vereador Biro-Biro (PCdoB), além de associados beneficiados. O presidente da associação, Valdério, agradeceu o apoio do deputado e relatou a satisfação de receber o maquinário após tantos anos de luta. “Todos nós da comunidade de Boqueirão e Açude do Soem sonhávamos em ter um trator. E esse dia finalmente chegou. Quero agradecer ao empenho do deputado Bobô junto à Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR). A partir de agora poderemos fazer com que a lavoura de nossas roças seja mais bem preparada para o cultivo”, disse.
Para o vereador Biro-Biro, a efetivação das medidas que melhoram a vida no meio rural “passa pelo do trabalho de gente séria e empenhada, citando o trabalho realizado pelo deputado Bobô”. Ele agradeceu também a Gustavo Miranda, pela ajuda na materialização das demandas da comunidade.
Bobô falou sobre o seu compromisso com o município de Senhor do Bonfim e colocou-se à disposição da população de Igara. “Nosso gabinete está de portas abertas. “A entrega desse trator representa também a oportunidade de mais desenvolvimento, mais emprego e renda para trabalhadores e trabalhadoras da zona rural do município. Contempla as associações locais e fortalece a agricultura familiar. É com alegria que reafirmamos o compromisso de ser o deputado da cidade e da região”, disse.
Barracas
Depois de garantir barracas para a Feira de Produtos Orgânicos, o deputado comemorou a conquista de mais 40 unidades para a Associação Comunitária do Distrito de Igara. Os equipamentos foram entregues aos feirantes e trazem um novo visual para a feira.

As barracas são resultado da atuação do deputado junto ao governo, através da CAR. Feitas de zinco galvanizado, possuem dimensões de 2m de comprimento, 1m de largura e 2,20m de altura. O deputado solicitou à Associação que cadastre os feirantes que ainda não foram beneficiados e afirmou que vai fazer o possível para que mais comerciantes sejam beneficiados com barracas.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Perícia vê interferência de Dilma em créditos suplementares, mas não em pedaladas

Segunda, 27 de Junho de 2016 - 13:40
Perícia vê interferência de Dilma em créditos suplementares, mas não em pedaladas
Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
Uma perícia feita por técnicos do Senado indica que houve interferência da presidente Dilma Rousseff na liberação de créditos suplementares sem aprovação do Congresso Nacional através de decretos. No entanto, eles não viram ação direta da petista para determinar o atraso nos pagamentos da União para bancos públicos, fato que ficou conhecido como "pedaladas fiscais". O documento de 223 páginas foi elaborado com base em laudos do Tribunal de Contas da União (TCU) que embasam o pedido de afastamento contra Dilma. O material foi entregue nesta segunda-feira (27) para a comissão do impeachment do Senado. "Há ato comissivo da exma. Sra. Presidente da República na edição dos decretos, sem controvérsia sobre sua autoria", diz a perícia.

Instituto Ipsos: Temer é rejeitado por 70% dos brasileiros

Segunda, 27 de Junho de 2016 - 13:00
Instituto Ipsos: Temer é rejeitado por 70% dos brasileiros
Foto: Agência Brasil
O presidente interino Michel Temer sofre rejeição de 70% dos brasileiros, de acordo com pesquisa realizada pelo instituto Ipsos, divulgada pelo jornal O Estado de São Paulo nesta segunda-feira (27). A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. Em fevereiro, 61% dos entrevistados rejeitava o peemedebista; em maio, 67%. O índice mais recente é próximo ao da presidente afastada Dilma Rousseff, que é desaprovada por 75% dos entrevistados, uma queda de 15 pontos percentuais em relação ao pico, em setembro do ano passado, quando 90% a avaliava negativamente. Desde que assumiu a presidência, Temer se tornou mais conhecido: 33% o desconheciam em fevereiro, percentual que caiu para 22 pontos percentuais em junho. Assim como a rejeição, a aprovação cresceu, de 6% para 19%. Desde o afastamento de Dilma, aumentou o número de brasileiros que disse não saber opinar sobre o governo, passando de 2% para 22%. A classificação “regular” também subiu: de 21% foi para 29%. A taxa de ótimo/bom caiu de 9% para 6%; a de ruim/péssimo reduziu de 69% para 43%. Vários tópicos referentes à gestão interina foram alvo de avaliação: o governo Temer foi mal avaliado em relação ao combate ao desemprego (44%), ao Minha Casa, Minha Vida (43%), ao Bolsa Família (43%), à crise política (42%), ao combate à inflação (40%) e ao combate à corrupção (40%). O levantamento também apontou que os tradicionais presidenciáveis tradicionais têm rejeição superior a 50%, como Lula (68%), Aécio Neves (63%), Marina Silva (56%), Geraldo Alckmin (55%) e José Serra (55%). Dois nomes são bem avaliados: Sérgio Moro (55%) e Joaquim Barbosa (42%).

'Qualquer canalha que venha me interperlar com violência vai ter retorno', diz Wyllys

Segunda, 27 de Junho de 2016 - 19:00
'Qualquer canalha que venha me interperlar com violência vai ter retorno', diz Wyllys
Foto: Gabriela Korossy / Câmara dos Deputados
O deputado federal Jean Wyllys (Psol-RJ) parece estar preparado para qualquer embate político que apareça à sua frente. Presente em Vitória da Conquista para participar do Seminário Audiovisual, Política e Diversidade, promovido pelo Procine/Uesb, Wyllys comentou a agressão que sofreu em um aeroporto no Mato Grosso do Sul. "Qualquer canalha que venha me interpelar com violência, seja simbólica ou violência física, vai ter retorno", declarou o parlamentar ao Blog do Anderson. Na ocasião, um grupo tentou arquitetar um protesto contra Wyllys, que defende a presidente afastada Dilma Rousseff (PT). 

Gleisi critica prisão de marido: 'Manchou de modo injusto minha vida pública e a do Paulo'

Segunda, 27 de Junho de 2016 - 21:00
Gleisi critica prisão de marido: 'Manchou de modo injusto minha vida pública e a do Paulo'
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) criticou nesta segunda-feira (27) a prisão do seu marido, o ex-minisro das Comunicações e do Planejamento Paulo Bernardo, em operação da Polícia Federal na última quinta-feira (23). A declaração da petista foi feita durante seu discurso na tribuna do Senado, quando afirmou que não havia elementos jurídicos para o pedido de prisão preventiva expedidido pela Justiça Federal de São Paulo. "A foto de uma pessoa presa nos jornais e TVs refletida inúmeras vezes durante dias e dias não se apaga. A absolvição, quando vier, não terá jamais a mesma força. (...) É com essa clara e terrível percepção que enfrento esse julgamento. Com a triste certeza de que o processo manchou de modo injusto, definitivo e irrevogável a minha vida pública e a do Paulo Bernardo", declarou. A Operação Custo Brasil, que culminou na prisão do ex-ministro investiga a transferência de R$ 7 milhões de um escritório de advocacia para Bernardo. Gleisi foi em defesa do marido na tribuna do Senado e disse que não há nenhuma prova que incrimine o petista. "Não há contrato do Ministério do Planejamento com a tal Consist [empresa investigada], nem vínculo do então ministro do Planejamento com o convênio celebrado entre a empresa e a associação dos bancos", argumentou, acrescentando que a operação tinha a intenção de "abalar" o trabalho dos senadores que defendem a presidente afastada Dilma Rousseff (PT). Ao chegar no Senado para seu pronunciamento, Gleisi foi acompanhada por um grupo de apoiadoras, de quem também recebeu flores e gritos de guerra como 'Me representa, me representa'. 

Araci: Governo do Estado entrega equipamentos agrícolas e cisternas

Segunda, 27 de Junho de 2016 - 21:20
Araci: Governo do Estado entrega equipamentos agrícolas e cisternas
Fotos: Reprodução/GOVBA
O governador Rui Costa esteve no município de Araci, Sisal, nesta segunda-feira (27) para entregar 329 títulos de terra para produtores rurais e 232 cisternas aos agricultores da região. Na mesma ocasião, também foram entregues dois tratores, para a construção e limpeza de aguadas e estradas vicinais, e 120 barracas de feira, para a comercialização dos produtos. “Assim, os moradores têm condições de produzir mais e melhor, de forma qualificada e com tecnologia, não apenas na enxada. Então, a gente está fazendo este trabalho, entregando os tratores para mecanizar a produção, dando ordem de serviço para a construção de barreiros, entregando essas cisternas”, explica.  O governador ainda assinou um convênio, por meio do Programa Bahia Produtiva, que beneficiará 40 famílias com matrizes de caprinos, animais reprodutores e máquinas forrageiras, para alimentar a criação. Cinco viaturas também foram entregues para reforçar a segurança nos municípios de Araci, Lamarão, Barrocas, Nordestina e Valente

Fichas-Sujas: TCE divulga lista com nomes de ex-prefeitos inclui Senhor do Bonfim

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) encaminhou esta semana ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA) a lista de gestores com finanças desaprovadas, com “decisão irrecorrível”, no período de 1º de julho de 2004 a 4 de julho de 2012. Ao todo, são mais de 200 prefeitos, ex-prefeitos, secretários e responsáveis por celebrar contratos com órgãos públicos.
Estão na lista do TCE José Mauro de Oliveira Filho e Heydi Maria Del Mastro de Amorim Cayres Rodrigues (ex-prefeitos de Queimadas); José Eliotério da Silva Zedafó (ex-prefeito de Araci); Izaque Rios Da Costa Junior (ex-prefeito de São Domingos); Ederlino José dos Santos Lima (ex-prefeito de Lamarão); Francisco Pedreira Curcino (ex-prefeito de Biritinga); José Martins Carneiro (ex-prefeito de Ichu) e  Reinaldo Ramos Rios (ex-prefeito de Valente).  De acordo com o TCE, independentemente de pretensões políticas, todos estão impedidos de concorrer nas eleições de outubro deste ano,O NOME DO EX-PREFEITO E EX- DEPUTADO CARLOS BRASILEIRO,APARECE NA POSIÇÃO 39 DA LISTA. (Confira lista Completa)
Quem escapou da lista de fichas-sujas do TCE, ainda corre o risco de aparecer – caso haja pendências – nas listas do Tribunal de Contas da União (TCU) e também no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). A expectativa é que ambas sejam divulgadas nos próximos dias.

Dilma diz que fará “governo de transição” caso retorne ao poder

A presidente afastada Dilma Rousseff disse hoje (27) que, caso retorne à Presidência, fará um governo de transição, com o objetivo de garantir a democracia brasileira até as eleições de 2018. Dilma diz que pretende também aproveitar o momento político para avançar nas discussões sobre a reforma política. “Farei basicamente um governo de transição. Porque é um governo que vai ter dois anos, e o que nós temos de garantir neste momento é a qualidade da democracia no Brasil, o que vai ocorrer em 2018. Eu farei isso, sobretudo. Acho que cabe a discussão de uma reforma política no Brasil, sem dúvidas. Nós tentamos isso depois de 2013 e perdemos fragorosamente. Tentamos Constituinte, tentamos reforma política”, disse a presidente afastada em entrevista à Agência Pública, publicada nesta segunda-feira. Dilma, no entanto, não confirmou a realização de um plebiscito sobre a convocação de novas eleições antes de 2018, proposta defendida por algumas lideranças políticas. “Não há um consenso. É uma das coisas. Uma das propostas colocadas na mesa. Agora, há de todo mundo uma opção por eleição direta, né? Sempre.” Caso retorne ao poder, a presidente afastada disse que não tentará recompor sua base nos moldes como estava antes do processo de impeachment. “Não tem mais como recompor. Vou te falar, eu não recomponho governo nos termos anteriores em hipótese alguma.” Perguntada se irá ao Senado para se defender na Comissão Processante do Impeachment, Dilma disse que ainda não se decidiu sobre o assunto. “Estou avaliando. Sou do tipo de gente que avalia.” Com informações da Agência Brasil.

A "fatura" do impeachment



Xinhua/TELAM
O presidente interino, Michel Temer, está sendo pressionado por senadores em troca de apoio no julgamento do processo de impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff. O senador Roberto Requião (PMDB-PR), contrário à saída definitiva de Dilma, disse que Temer está fazendo uma "compra explícita" de apoio.

Entre os pedidos, estão o apoio do Planalto em disputas locais, indicações para cargos em estatais e até para o comando do BNDES. Um dos casos mais pitorescos, de acordo com senadores próximos a Temer, é de Hélio José (PMDB-DF), que chegou a pedir 34 cargos para votar pelo afastamento de Dilma

sábado, 25 de junho de 2016

ALTO DE SÃO GONÇALO: A PRATICA DE MUTIRÕES É SEMPRE BEM VISTA PELOS AGRICULTORES FAMILIARES DESTA LOCALIDADE

Mutirões vem sendo realizados e outros estão previstos, por saber que esta é uma prática muito vantajosa  tanto no rendimento dos serviços, quanto na diminuição de custos dos trabalhos que são realizados, ainda mais quando se tem de enfrentar a crise financeira que termina atingindo principalmente a classe trabalhadora. Por isso, a associação do Alto de São Gonçalo vem estimulando a prática de mutirões, por saber da importância do trabalho feito em grupo, principalmente no tocante o aumento do que está sendo  realizando. Sábado e domingo passado, um grupo de pessoas dedicaram seu tempo realizando atividades com vistas a construção do Mini Abatedouro de Aves que será construído no Alto de São Gonçalo, hoje, novo mutirão foi realizado, dando início a construção da tão sonhada casa de nosso amigo Valdireno e de sua esposa Dalvany, muitos chegaram pra perto e no final viu-se que, devido a quantidade de pessoas, o trabalho que foi feito em apenas uma manhã, duas pessoas levariam  15 ou 20 dias para fazer o mesmo serviço. Segunda feira próxima haverá mais um mutirão dando continuidade a construção da casa da sogra de Flávio. Todos estão convidados. Naquele outros mutirões serão marcados.
Veja as fotos do mutirão realizado hoje
 A feijoada estava de dar água na boca, olha a cara do conzinheiro:
Panela de barro e fogo de lenha em Fã?

  

Sócio e ex-presidente da OAS relatará propina em obra de Aécio Neves, diz jornal

Sábado, 25 de Junho de 2016 - 18:00
Sócio e ex-presidente da OAS relatará propina em obra de Aécio Neves, diz jornal
Foto: Reprodução / Arcoweb
O empreiteiro Léo Pinheiro, sócio e ex-presidente da OAS, dirá que pagou suborno a auxiliares do então governador de Minas Gerais, e atual senador, Aécio Neves (PSDB) durante a construção da Cidade Administrativa. De acordo com informações do jornal Folha de São Paulo, o centro administrativo inaugurado em 2010 foi orçada em R$ 949 milhões, mas acabou custando R$ 2,1 bilhões. Segundo o empreiteiro, a OAS pagou 3% sobre o valor da obra, o que representaria pouco mais de R$ 3 milhões, a Oswaldo Borges da Costa Filho, um dos principais auxiliares do atual senador. Ainda de acordo com a publicação, Filho é apontado por tucanos e opositores como o tesoureiro informal das campanhas de Aécio entre 2002 e 2014. A OAS construiu um dos três prédios do complexo, e recebeu R$ 102,1 milhões pelo trabalho. No consórcio, a Odebrecht era a líder, com 60% do valor do contrato. A OAS respondia por 25,71% e a Queiroz Galvão, por 14,25%. O depoimento de Pinheiro sobre obra faz parte do acordo de delação premiada que está sendo negociado com a força-tarefa da Operação Lava Jato de Curitiba e Brasília, e ainda não foi assinado. Em nota emitida a Folha, Aécio nega ter recebido recursos ilícito e a existência de irregularidades na obra.